Após 17 anos a estiagem volta a preocupar o DAE

Ainda sem as represas Areia Branca (1998) e São Luiz (2004), os arquivos do DAE (Departamento de Água e Esgoto) de Santa Bárbara d’Oeste apontam para o ano de 1997, mais especificamente em meados do mês de abril, que a autarquia mostrava, através dos dirigentes da época, uma preocupação com relação ao comprometimento no abastecimento da água na cidade devido à estiagem, mesmo o índice pluviométrico daquele ano ter registrado um número maior em relação a este ano: 560,3 mm e 361,1 mm, respectivamente – índice registrado no período de janeiro a março.

Em períodos normais de chuvas, Santa Bárbara d’Oeste possui uma capacidade hídrica de 7 bilhões de litros de água, com as represas Areia Branca (3,5 bi), São Luiz (2 bi) e de Cillo (1,5 bi). A estiagem que vem ocorrendo desde o mês de outubro de 2013 proporcionou uma queda em torno de 42% desse volume, o que torna esta crise hídrica inédita e preocupante no município.

Em 20 anos, a média de chuvas na cidade para os seis primeiros meses é de 810 mm, este ano, o índice ficou em 455 mm, metade do que seria o suficiente para manter os níveis adequados das três represas durante o período típico de estiagem, de abril a setembro.

Diante deste cenário assustador, o DAE pede a colaboração da população barbarense para que usem a água de forma racional. Cartazes e folders serão distribuídos na cidade pela autarquia, focando principalmente a prática de lavar calçada e veículo usando a mangueira, principais vilões do desperdício da água.

Denúncias dessas práticas podem ser feitas pelo 0800-770-3459 ou 3459-5910, sem a necessidade de se identificar. Fiscais do DAE estarão orientando.

Evitem o desperdício lavando calçadas e veículos
Evitem o desperdício lavando calçadas e veículos

DAE/SBO

Comentários

Notícias relacionadas