Saúde 

Ao mastigar sinto alguns estalos e ouço chiados, devo me preocupar?

Desconforto em partes do corpo podem representar indícios de doenças

 

Muitas vezes, por conta da correria do dia a dia e a falta de tempo, recorremos à internet para dicas e até a um diagnóstico prévio. Tratados de forma indutiva, os consultórios e clínicas são acionados em último caso. Um erro.

 

O corpo fala e evidencia com sinais físicos ou psíquicos de que não está bem ou que há algo de errado acontecendo. Se tratando de saúde, nenhum sintoma diferente deve ser negligenciado.

 

Os pacientes com disfunção da articulação temporomandibular (articulação da boca), apresentam geralmente desconforto para mastigação, com quadros de dores nos músculos do rosto, na região anterior ao ouvido e muitas vezes associados a estalos e crepitações (ocorre um som parecido com areia dentro da articulação) ao abrir a boca.

 

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, 30% da população mundial sofre com os sintomas ligados a DTM. Já no Brasil, o Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia Bucomaxicilofacial registrou o montante de 10 milhões de brasileiros com sinais da doença. O problema atinge inúmeras pessoas de qualquer idade, sexo ou raça.

 

Importância de buscar um especialista

 

Os músculos da mastigação são responsáveis pelo movimento e posição da mandíbula. Quando comprometido por algum problema onde não ocorre o funcionamento normal, possuímos a DTM. São diversas as alterações que contribuem para a DTM, como bruxismo ou apertamento dental.

 

“O conjunto dessas queixas, associados ao exame clínico e quando necessários exames de imagem, identifica a disfunção temporomandibular, podendo ser uma disfunção articular, muscular ou ambas.’’ afirma Dr. Sylvio Vivone, cirurgião bucomaxilofacial  formado pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP com pós graduação em cirurgia da articulação temporomandibular pelo Miami Anatomical Research Institute – M.A.R.C. – Miami – EUA.

 

“Ao movimentar a mandíbula é importante reparar qualquer alteração, como desvio em abertura, estalos e travamentos para abrir a boca. Diante disso, um especialista deve ser consultado para avaliar o caso’’, afirma Vivone.

O diagnóstico precoce muitas vezes ajuda a prevenir a evolução da doença, sendo geralmente mais fácil o tratamento, quando no início dos sintomas.  O tratamento varia de acordo com a necessidade clínica do paciente, sendo somente 5% dos casos com indicação cirúrgica.

 

“Buscar as respostas nas fontes certas é importante para resolver os problemas de uma forma efetiva, para isso, consulte o quanto antes os especialistas da área”, completa o cirurgião. Por causar sérias dificuldades funcionais, a DTM deve ser tratada corretamente o quanto antes.

Comentários

Leia também...