RMC 

Americana recebe equipamento que prevê tempestades


Americana foi uma das sete cidades escolhidas para receber o sensor do radar meteorológico do Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). O sensor foi instalado no Tiro de Guerra 02-045, onde está localizada a estação meteorológica de Americana.

 

O conjunto de equipamentos é composto por um sensor de campo elétrico atmosférico, um sensor pluviômetro, um sistema de aterramento e um dispositivo eletrônico de coleta e transmissão de dados via modem celular acondicionados em uma caixa hermética. A alimentação de energia é independente, por sistema de painel solar e bateria do próprio equipamento. Os equipamentos de coleta e transmissão de dados e componentes associados são instalados em um tripé metálico com 2 metros de altura.

 

O radar meteorológico de dupla polarização, instalado no Campus da Unicamp, é capaz de detectar com até seis horas de antecedência de acontecimentos climáticos. Os sensores localizados em Americana, Engenheiro Coelho, Indaiatuba, Itatiba, Santo Antônio de Posse, Tuiuti e Campinas (Unicamp) auxiliarão na captação de descargas elétricas dentro das nuvens em até 20 quilômetros.

 

O projeto denominado de SOS Chuva, liderado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) em parceira com a Universidade de São Paulo (USP) e Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), custará R$ 3,5 milhões e foi financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

 

“A instalação deste sensor é de suma importância para Americana e uma grande conquista para a nossa Defesa Civil. Isso é muito bom, pois vamos ter os dados precisos da aproximação de uma tempestade, a intensidade que ela vem, se é com vendaval ou granizo. Dá pra gente se preparar e acionar as equipes em uma eventual tempestade. O funcionamento do aparelho está programado para outubro, onde estarão instalados nas sete cidades da região, enviando as informações para a central em Campinas,”, explicou a coordenadora da Defesa Civil de Americana, Marli Rodrigues dos Santos Kiriyama.

 

Além do radar e dos sensores, serão espalhados detectores de granizo, quatro estações hidrológicas completas (Campinas (2), Limeira e Piracicaba), com transmissão de dados em tempo real e até fotografia dos rios, 30 pluviômetros automáticos e um anemômetro sônico para estudar ventos intensos na área urbana, que será instalado no próprio radar.

 

O Cepagri também pretende instalar um canal para contato direto com a população, onde aqueles que se cadastrarem terão a possibilidade de mandar fotos e vídeos, através do site do Centro de Pesquisas. O projeto SOS Chuva terá duração de 24 meses.

 

Unidade de imprensa: Ariel Ferreira

Comentários

Leia também...