Americana: Basílica Santuário apresenta 1º Fase da Restauração

Esta é a primeira grande revitalização em quase meio século de existência

 

Nesta manhã a Basílica Santuário de Santo Antônio de Pádua, em Americana, apresentou à imprensa a conclusão da 1º fase da restauração interna. A primeira área que sofreu intervenção foi o Presbitério, onde foram investidos R$ 100 mil. Agora as obras seguem para os braços da cruz. O valor total da restauração deve chegar a aproximadamente R$ 1 milhão.

 

As obras no Presbitério tiveram início em agosto e demoraram cerca de três meses. Foram restauradas as rosáceas, adornos dos candelabros, colunas, cruzes de dedicação, capitéis, zarcana, molduras, além de aplicação de verniz para proteção e conservação das pinturas.

 

“Estamos muito contentes com andamento dos trabalhos e pelo apoio e aprovação que a restauração recebe da comunidade e a do nosso Bispo Diocesano Dom Vilson Dias de Oliveira que acompanha semanalmente as obras e muito contribui para a sua execução”, afirma o Reitor Padre Leandro Ricardo.

 

O cronograma de trabalho, que prevê a restauração de toda a Igreja, está dividido em cinco etapas e deve ser concluído em 2016 com o restauro da parte externa.

 

Em paralelo com a restauração do Presbitério outros pontos da Basílica Santuário também receberam importantes obras. Foram restauradas as antigas portas de madeira maciça, o coro e os alguns vitrais importados que apresentaram sérios problemas. Um amplo restauro de todos os vitrais alemães, belgas e franceses também deverá acontecer.

 

Outro serviço realizado foi a desobstrução das calhas de água, serviço não executado há pelo menos 20 anos e que culminou em 11 pontos de infiltração. Já os jardins da Igreja estão em processo de remodelação para ser tornarem jardins turísticos.

 

“Não canso de repetir que apesar de ser a maior restauração que a Basílica Santuário recebe em 47 anos o principal e que nos motiva é a reforma espiritual e pastoral que a comunidade vem passando ao longo deste período. Hoje nossa comunidade está mais fiel às suas origens, mais orante, participativa, comunicativa e fortemente acolhedora”, comenta o Padre Leandro Ricardo.

 

Assessoria de imprensa

Comentários

Notícias relacionadas