fbpx

Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Ação de combate a ratos na rede de esgoto vai até 23 de agosto em Nova Odessa

Após concluir a aplicação de veneno contra baratas em mais de dois mil poços de visita do município, a Coden (Companhia de Desenvolvimento de Nova Odessa) iniciou o combate aos ratos. O serviço está sendo realizado por uma empresa especializada contratada pela companhia e deve ser concluído até 23 de agosto. Os trabalhos fazem parte da segunda etapa da campanha de controle de pragas urbanas na cidade, iniciada em junho.

 

Nesta segunda-feira (29), funcionários da Combatec Controle de Pragas e Higienização trabalharam na região do Jardim São Manoel. Na sequência, passarão pelo procedimento os bairros Maria Raposeiro Azenha, Jardim Éden, Maria Helena, Bela Vista, Santa Rosa, Condomínio Imigrantes, Jardim São Francisco, Residencial Fibra, Santa Luiza 1 e 2, Nossa Senhora de Fátima, Triunfo, São Jorge, Vila Azenha, Jardim Flórida, Fadel, Jardim Eneides, Distrito Industrial, Marajoara, Novos Horizontes, Condomínio Cerejeiras, Planalto, Mathilde Berzin, Parque Fabrício, Europa e Centro.

 

De acordo com a empresa, serão colocados aproximadamente 10 mil blocos raticidas em toda a rede de esgoto. Após o término do procedimento, serão feitas duas revisões quinzenais para garantir a eficácia do processo de combate aos ratos.

 

A veterinária Paula Faciulli, coordenadora do Setor de Zoonoses de Nova Odessa e do programa de controle de pragas urbanas no município, explica que a desratização é feita por meio de iscas parafinadas. Segundo ela, os roedores morrem aproximadamente cinco dias após o consumo. A colocação das iscas é acompanhada por técnicos da Coden, que é responsável pelos serviços de água, esgoto e manejo de resíduos no município.

 

“O processo de desratização é feito de forma segura, direto na rede de esgoto. Por isso, não exige medidas preventivas por parte da população. De qualquer forma, em caso de reação alérgica, a pessoa deve procurar orientação médica na unidade de saúde mais próxima”, recomenda a veterinária Paula Faciulli.

 

Embora a desinsetização seja efetiva, a coordenadora do Setor de Zoonoses chama a atenção para algumas medidas que devem ser adotadas pelos moradores. “A população pode ajudar evitando acúmulo de papelão e entulho, que servem de ninho para o roedor, e o acúmulo de lixo dentro de casa que pode servir de alimento.”

 

O secretário de Saúde Vanderlei Cocato destaca a importância da ação. “A proliferação descontrolada de ratos e baratas é uma questão de saúde pública. Por isso, fazemos campanhas como essa a cada seis meses. As baratas atraem os escorpiões, que podem se tornar grandes ameaças em casa, principalmente às crianças. Já os ratos transmitem cerca de 30 doenças, como hantaviroses e a leptospirose”, enfatizou o secretário. A primeira etapa ocorreu entre novembro de 2018 e janeiro deste ano.

Comentários