24horas Artigos / Opinião 

A decadência do Partido dos Trabalhadores

Por Dr. Cassio Faeddo

Do histórico PT, nos deixa a sensação que só resta o P

O Partido dos Trabalhadores foi fundado no início dos anos 80 com o objetivo inicial de dar voz a pauta dos trabalhadores. Fruto da união de interesses de intelectuais de esquerda, sindicalistas, políticos que retornavam ao país com a abertura e participação importante de estudantes; o partido, aos poucos foi ocupando importante espaço na política.


Logo em 1982, a candidatura de Lula ao governo do Estado de São Paulo abalava o cenário da política tradicional. De lá até os dias de hoje muita coisa mudou.

Após ter o protagonismo político no Brasil por mais de uma década, o PT, aos poucos foi cooptado pela política tradicional e pelo pior que existe nela.

O partido inchou com a inscrição em seus quadros de figuras fisiológicas que por simbiose política se unem a quem está no poder.
Seus principais líderes, incluindo Lula, se deixaram levar por afagos de falsos amigos e pelo podre esquema de corrupção para financiamento do partido, com a conveniente comissão para os intermediários.


É certo que ninguém até o momento, após devassa investigatória, conseguiu mostrar onde estão os milhões atribuídos a Lula.
Mas lá estão o apartamento na praia e o sítio que certamente Lula poderia ter comprado regularmente. Mas preferiu o tapinha nas costas seguido da tradicional frase dos falsos: “meu presidente!”.

O resultado aí está. O PT deu e dá voz ao que surgiu desde 2013.
O PT tem imensa bancada no Congresso, mas não tem alma nem qualidade.
O PT hoje não tem pauta que interessa aos trabalhadores.

Não abre trincheiras para as coisas mais simples da política, como consertar pontualmente equívocos intencionalmente inseridos na “reforma trabalhista”, como o acesso à justiça, por exemplo. Não grita, não se indigna. O PT se importa mais com Maduro do que com o que terrifica os pobres.

O PT está mais preocupado com a pauta gay do que com o trabalho diário.

Do PT histórico restou apenas o “P”. De pena.

Sobre o Dr. Cassio Faeddo

Mestre em Direitos Fundamentais pelo UNIFIEO. Especialização em Direito do Trabalho, Processo do Trabalho. Graduado em Direito pela Universidade Paulista (1994). Graduado em hotelaria pela Faculdade de Tecnologia Hebraico Brasileira Renascenca (1987). É professor de Direito tendo lecionado no Centro Universitário Senac, Anhembi Morumbi e Unibero. Tem especialização em Direito Internacional.

Comentários

Notícias relacionadas