2016 deve ser negativo segundo Presidente da Abit Rafael Cervone

Rafael Cervone mostrou em números a falta de governabilidade do País

O café da manhã com Rafael Cervove realizado na sede da Acisb (Associação Comercial e Industrial de Santa Bárbara d’Oeste), foi acima da expectativa. Rafael Cervone Neto falou a empresários e políticos e ministrou uma palestra aos empresários numa parceria com o Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) falado da perspectiva para 2016.
O cenário econômico brasileiro de 2016 será negativo, assim como o este ano. A análise é do presidente do Conselho de Administração da Abit (Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção), o empresário barbarense, Rafael Cervone.
“Pelo que estamos acompanhando a perspectiva é negativa e a recessão vai se prolongar ao longo de 2016. Será a primeira vez desde a década de 30 que teremos o PIB (Produto Interno Bruto) negativo por dois anos consecutivos e isso deve também provocar mudanças no país. Infelizmente, mudanças significativas só ocorrem quando a gente está no fundo do poço e esse é o momento de mudanças. Medidas como simplificar legislação tributária, modernizar a agilização trabalhista, reduzir o tamanho do Estado, entregar mais e governança. O grande problema do Brasil não é a falta de dinheiro, mas sim, executar o orçamento, esse é o problema”, comentou.
Segundo Rafael a crise política trava a economia. “As decisões importantes não são tomadas. O Brasil vem adiando há anos essas decisões importantes e o que precisamos é de um governo mais enxuto, um governo muito menos intervencionista, menos burocrático, um governo que dê o mínimo de previsibilidade e não mude a regra do jogo a todo momento.”, criticou o empresário. Na sua avaliação é uma simplificação. “Parece que todo dia em Brasília os membros do governo levantam com a missão de ‘atazanar’ a vida da população brasileira, atrazar os negócios com muita burocracia e trabalho desnecessário e uma agenda sem foco, principalmente na agenda econômica”, falta liderança e govrnabilidade, afirmou.
A Campanha “NÃO VOU PAGAR O PATO”
No Café da Manhã, promovido pela Acisb (Associação Comercial e Industrial de Santa Bárbara d’Oeste), foi lançada a campanha “Não vou pagar o pato”, de iniciativa da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo. A réplica do pato que simboliza a campanha fica exposta até hoje na frente da sede da Acisb , à Rua Duque de Caxias, centro. A campanha vem sendo realizada em várias cidades paulistas recebendo adesões da população através de um abaixo assinado.
Para o presidente da Acisb, Roberto Bonamin, as ações que são realizadas para conscientizar os emprsários tem o seu apoio. “A Acisb trabalha para que seus associados estejam sempre bem informados, por isso, o convite para que Rafael Cervone ministrasse nesse café da manhã.
Temos que aprender e estar preparados para enfrentar o momento e nada melhor que o presidente da Abit para nos alertar e orientar em como lidar com esta situação atual em que se encontra o nosso pais. Estou muito contente com a participação dos empresários nesta palestra e muito feliz pela presença do Rafael Cervone em nossa entidade.
A parceria com o Ciesp, o Senai, Sebrae e o Sesi muito nos honra e traz bons frutos para a Acisb. Quero agradecer a presença do presidente da Cãmara Juca Botolucci, do Secretário de Governo Miguel Brito que representou o prefeito Denis Andia. Recebemos empresários de várias áreas, o presidente da ACIRP – Associação Comercial e Industrial de Rio das Pedras, Presidente Antonio Carlos Defavari, Carlos Alessandro Brambilla, além da presença dos nossos diretores, João Laudisse, diretor do SENAI, Andre Vergneron, diretor do SESI, Nivaldo Silva, diretor do Ciesp/Santa Bárbara e toda sua equipe, Antonio Carlos de Aguiar Ribeiro, do Sebrae e todos que compareceram ao nosso café da manhã”, explicou Roberto.
Fonte: ACISB
Comentários

Notícias relacionadas