“Saúde sem Tabaco”: 50% dos pacientes da primeira turma de 2018 param de fumar

“Se não fosse pelo Programa [Saúde sem Tabaco] não teria parado de fumar. Tentei várias vezes e agora parei. Achei que não ia conseguir e estou muito feliz. Já vejo melhora na minha saúde e do meu marido”. Esse é o relato da Sueli de Fátima Gouveia Pinheiro, que juntamente com seu esposo Francisco Pinheiro de Souza, teve um apoio importante para abandonar o vício do cigarro.

Eles fizeram parte do primeiro grupo do Programa “Saúde sem Tabaco” de 2018. No início, 22 participantes entraram para as reuniões, sendo que 13 finalizaram as etapas. Desses, 10 pararam de fumar ao término da participação, o que representa um percentual de 50% de pessoas que tiveram êxito com ajuda do programa gratuito. Outro grupo terá início na semana que vem no CEO (Centro de Especialidades Odontológicas) – local dos encontros.

Primeiramente, os pacientes passaram por acolhimento, avaliação do grau de dependência à nicotina e motivação de cada participante. Na sequência, foram encaminhados para consulta médica e avaliação bucal e posteriormente participaram das reuniões terapêuticas e de manutenção. Apenas em 2017 a ação atendeu 108 pessoas em quatro grupos realizados no decorrer do ano.

“O “Saúde sem Tabaco” é uma ação de extrema importância, pois estamos possibilitando que as pessoas busquem uma melhor qualidade de vida, e é isso que vem fazendo a diferença, as pessoas têm o desejo de parar de fumar e muitas vezes sozinhas não conseguem. Estamos prontos para ajudá-los nesse processo com uma equipe multidisciplinar e qualificada para atender esse público. Podemos afirmar que essa ação está sendo bem sucedida com muitos depoimentos emocionantes. Isso é fazer Saúde”, enfatizou a secretária de Saúde, Lucimeire Coelho Rocha.

Programa

O Programa Saúde sem Tabaco é desenvolvido com coordenação do médico Antônio Detoni e apoio de uma equipe multidisciplinar, que oferece apoio médico, odontológico, psicológico, farmacêutico e de assistência social para os participantes. Os profissionais envolvidos foram todos capacitados pelo CRATOD (Centro de Referência de Álcool, Tabaco e outras Drogas) em São Paulo. Os interessados em se inscrever para os próximos grupos devem procurar a UBS (Unidade Básica de Saúde) mais próxima à residência.

Comentários