Presidente da APEOESP visita a Câmara em busca de apoio contra o ‘PL da Morte’

A Câmara Municipal de Santa Bárbara d’Oeste recebeu, nesta manhã (6), a visita da presidente da APEOESP (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo), Maria Izabel Azevedo Noronha. O objetivo da visita, acompanhada por parte da diretoria regional dessa entidade, foi pedir o apoio dos parlamentares barbarenses contra a aprovação do Projeto de Lei 920/2017, de autoria do Governo do Estado, atualmente em trâmite na ALESP (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo). Pela proposta, o governo paulista só poderá aumentar os investimentos de acordo com a inflação do ano anterior.

Segundo a presidente da APEOSP, essa medida, na prática, limita os investimentos em saúde, educação, segurança, entre outros serviços, prejudicando toda a população paulista, em especial os mais pobres que dependem da rede pública. “A escola pública já não tem tantos recursos, a segurança pública é frágil em todo o Estado. Não é um problema só do funcionário público, é um problema de toda população que paga impostos”, afirmou.

Quanto à necessidade do governo estadual reduzir despesas, Maria Izabel afirmou que o governo estadual alega a necessidade de pagar a dívida com a União, mas tal dívida poderia ser 80% menor se o governador Geraldo Alckmin não viesse praticando uma política de renúncia fiscal, beneficiando empresários, a qual já provocou um prejuízo aos cofres estaduais da ordem de R$ 178 bilhões. A presidente da APEOESP também ressalta que esse projeto de lei foi apresentado numa conjuntura em que os serviços públicos estaduais sofrem com sucateamento e os servidores com a falta de valorização.

Na visita desta manhã, ficou agendada a participação de representantes da APEOESP na Tribuna Livre da sessão camarária do dia 14 de novembro. “Pretendemos alertar a população de que essa luta não é só dos servidores públicos, mas pela garantia do serviço público. Com a aprovação desse PL, certamente vamos caminhar para a privatização para quem puder pagar. Já para aqueles que não puderem pagar pelos serviços, é morte mesmo”, afirmou.

Da Câmara de SBO

Comentários