Mario Botion se reúne com vereadores para explicar intervenção em empresa de transporte coletivo de Limeira

Prefeito informou que vai apresentar projeto de lei à Câmara que trata do repasse dos subsídios

 

O prefeito Mario Botion (PSD) se reuniu com os vereadores na manhã desta segunda-feira, 17 de abril, na sede do Legislativo, para explicar e pedir apoio à decisão tomada pelo Executivo de realizar intervenção junto à Viação Limeirense, na última sexta-feira, dia 14.

Os vereadores fizeram questionamentos e o prefeito explicou que a intervenção foi necessária por dois motivos. O primeiro foi que a empresa não forneceu diversas informações solicitadas pela Prefeitura como, por exemplo, o banco de dados da bilhetagem – informação fundamental para o bom andamento da prestação do serviço. O outro motivo, ressaltou Botion, é que havia um interesse e um compromisso na preservação dos empregos dos funcionários da Viação Limeirense. No entanto, com o estado de greve declarado no final da semana passada pelo Sindicato, não houve outra escolha senão a intervenção.

Botion explicou que o interventor nomeado pela Prefeitura é o responsável pela administração e operação da empresa, referente aos fatos e ações ocorridos desde sexta-feira (14). Diante disso, o prefeito explicou também que enviará um projeto de lei ainda nessa segunda-feira (17) para a Câmara Municipal, que deverá ser votado no mesmo dia. A iniciativa vai permitir que os repasses de subsídio, enquanto durar a intervenção, sejam utilizados para a continuidade do serviço de transporte urbano em Limeira.

“O prefeito deixou muito claro que não faz sentido pagarmos o subsídio para a empresa, se é a Prefeitura que está administrando o serviço. O subsídio será usado somente durante a intervenção e servirá para garantirmos que os ônibus estarão circulando e também para a preservação dos direitos dos trabalhadores. O Departamento Jurídico da Casa também se manifestou e tranquilizou os vereadores, dizendo que é nosso papel ajudarmos e darmos todas as condições para que o Executivo não permita a interrupção do serviço, o que traria diversos prejuízos à população e à cidade”, explicou o presidente da Câmara, Zé da Mix (PSD).

 

Assessoria de imprensa

Comentários