Evento em São Paulo reuniu 2 mil apaixonados pela capoeira

O evento foi em comemoração aos 50 anos do grupo mais tradicional do Brasil o Cordão de Ouro.

No último fim de semana o Grupo Cordão de Ouro reuniu aproximadamente 2000 pessoas  na cidade de São Paulo. Entre os participantes estavam grandes mestres que atuam emdiversos países como Russia, França, EUA, Israel além de representantes das capitais brasileiras.

O evento ainda contou com várias atrações abertas ao público como aulas, apresentações, shows, debates, lançamento de CD e livros.

Em sua admirável trajetória trilhada ao longo das últimas cinco décadas, a Associação de Capoeira Cordão de Ouro viu o sonho de dois amigos (Mestre Suassuna e Mestre Brasília) crescer e ganhar visibilidade internacional, em prol do ensino e da difusão esportiva e cultural da capoeira.

Uma história de superação e perseverança.
Eram tempos difíceis em que o país passava um dos seus períodos mais sombrios, no final dos anos 1960.

A capoeira, assim como outras expressões populares e culturais, enfrentava dificuldades para ganhar novos horizontes, principalmente em algumas regiões.

Mas isso não intimidou o mestre Reinaldo Ramos Suassuna.

Juntamente com o amigo Mestre Brasília, ele fundou, em 1 de setembro de 1967 ,a Associação de Capoeira Cordão de Ouro e, na sequência, a primeira academia.

A inspiração para o nome veio do refrão de uma música que tocou nos festivais daquele ano. Além disso, remetia a Besouro Cordão de Ouro, um capoeirista anterior às divisões Angola e Regional, modalidades que os mestres ensinavam.

Após um curto período de trabalho em conjunto, o Mestre Brasília decidiu fundar seu próprio grupo, o São Bento Grande.

Mestre Suassuna que estava há pouco tempo em São Paulo, vindo de sua cidade natal (Itabuna) na Bahia, continuou com suas atividades em sua primeira academia na capital paulista.

Era uma rotina intensa de apresentações, onde ele mostrava as técnicas do jogo e luta, aprendidas durante a infância e adolescência em terrenos de capoeira em Salvador.

A Capoeira Cordão de Ouro rapidamente se transformou em celeiro de talentos e logo começou a revelar os seus primeiros bambas.

Nomes importantes como Lobão, Esdras Filho, Tarzan, Belisco, Almir das Areias, Caio tiveram seus primeiros ensinamentos lá.

Com atuação primorosa, o Mestre Suassuna passou a ser visto como referência e foi responsável por formar diversas safras de mestres e equipes de capoeiristas, não apenas no Brasil.

Ao longo dos anos, ele sempre focou em aperfeiçoar ainda mais o seu trabalho, por exemplo, com inovações como o Jogo do Miudinho.

Nos 50 anos de existência, o Cordão de Ouro e, sem dúvida, o Mestre Suassuna, imprimiram com louvor um legado importante na história da capoeira mundial.

Atualmente, o grupo atua com diversas filiais no Brasil e no exterior presente em mais de 50 países,com cerca de 70 mil praticantes no mundo, mantendo a capoeira em um nível altamente técnico, interagindo velocidade, agilidade, elasticidade, criatividade, música e malícia, sem esquecer suas raízes.Hoje a Capoeira é praticada por crianças, jovens e adultos e inclusive deficientes. Ela promove a inclusão de inúmeros jovens em situação de risco social propondo ainda uma profissionalização dos mesmos.

http://grupocordaodeouro.com.br