Estado de São Paulo reduz homicídios e crimes patrimoniais em outubro

Casos e vítimas de latrocínios, roubos e furtos em geral e de veículos diminuíram no mês, que teve recorde de produtividade policial

O Estado de São Paulo apresentou, em outubro, redução nos crimes contra o patrimônio e nos homicídios dolosos, que alcançaram mais uma vez as taxas mais baixas da série histórica. No período, houve recorde de produtividade.

“No Estado, tivemos queda de todos os indicadores neste mês de outubro, exceto o estupro”, disse o secretário da Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho, durante apresentação das estatísticas nesta segunda-feira (27).

Os casos de homicídio caíram 27,86% no último mês, passando de 341 para 246, o menor total desde 2001. Com 95 ocorrências a menos, aconteceu em outubro o recuo mais acentuado do indicador no ano.

“É um objetivo da segurança pública e do Governo do Estado que esse indicador continue em queda”, ressaltou o secretário na coletiva de imprensa.

Seguindo a mesma tendência, o número de vítimas de homicídio baixou 23,38% – de 355 para 272, poupando 83 vidas. A quantidade também é a menor para o mês de outubro na comparação de 17 anos.

Com as diminuições, as taxas de homicídios chegaram a 7,51 casos e 8,05 vítimas a cada 100 mil habitantes do Estado nos últimos 12 meses – de novembro de 2016 até o mês passado. São os menores índices desde 2001.

O secretário destacou a diminuição do indicador ao longo dos anos. “É uma política de governo que vem sendo desenvolvida há muito tempo e com muita eficiência. É um exemplo para o resto do país. Em 2001, o indicador do Estado era de 35 homicídios por grupo de 100 mil habitantes e é uma grande vitória anunciar que hoje está na casa de 8″.

As extorsões mediante sequestro caíram de duas para nenhuma ocorrência e o indicador de estupros, único a aumentar, subiu 15,04% no Estado de São Paulo, passando de 951 para 1.094, com 143 a mais em outubro.

“Esse crime vem caindo ao longo dos últimos anos no Estado de São Paulo graças ao trabalho das polícias. É muito bom registrar que não teve nenhum sequestro em outubro”, falou Mágino.

Crimes contra o patrimônio

Os latrocínios recuaram 45,95% em outubro. Na quarta queda consecutiva desse crime no ano, o total de casos passou de 37 para 20, com 17 a menos. Com isso, o índice chegou ao patamar mais baixo desde 2010.

Já a quantidade de vítimas fatais de roubos baixou 47,37% no mês, de 38 para 20, poupando 18 vidas. Na comparação dos meses de outubro, o total de 2017 também é o menor desde 2010.

Pela sétima vez em dez meses, os roubos em geral diminuíram no Estado de São Paulo. Em outubro, a queda foi de 13,60% e os registros passaram de 27.756 para 23.980, com 3.776 a menos e o patamar mais baixo desde 2013.

Os furtos em geral também diminuíram: 0,08%. Os boletins de ocorrência caíram de 43.166 para 43.132, com 34 a menos. A queda de outubro é a quarta do indicador no ano de 2017 e seu total é o mais baixo em três anos.

Os roubos de veículos baixaram 21,22%, passando de 7.119 para 5.608 – o menor número desde 2008. Já os furtos de veículo foram reduzidos em 0,14%, de 9.083 para 9.070, com 13 casos a menos.

Os roubos de carga caíram 1,97% (de 865 para 848). Os roubos a banco estão estáveis em outubro, com nove casos, desde 2015: nos meses equivalentes de 2016 e 2017 houve o mesmo total – o menor da série histórica.

Produtividade policial

O trabalho das polícias estaduais paulistas resultou em um aumento de 4,41% nas prisões realizadas em outubro. O total passou de 16.151 para 16.864, que é o maior já registrado na comparação de 17 anos.

Outro recorde aconteceu no total de flagrantes de tráfico: aumento de 22,22%, de 3.609 para 4.411 casos. No mês, o total de drogas apreendidas subiu de 8,9 para 31,4 toneladas – 254% a mais.

Comentários