Crise econômica faz aumentar a demanda no mercado de assistências técnicas para celulares, smartphones e tablets

Para economizar, consumidor deixa de comprar aparelho novo e opta pelo conserto

O valor de um celular novo é bem salgado para o bolso do consumidor, ainda mais em um momento de crise econômica, em que a regra é poupar. Um novo smartphone chega a custar até três mil reais. Mas o que todos assumem, é que hoje em dia não dá pra ficar sem o celular. Já somos dependentes desse aparelho que faz parte das nossas vidas nas tarefas diárias e em nossos relacionamentos. Como ficar sem ele está fora de cogitação, e comprar uma novo custa muito caro, a opção tem sido ir em busca das assistências técnicas para consertos.

O valor do conserto de um smartphone ou tablet é por volta de trinta por cento do custo de um aparelho novo. Por exemplo, para trocar a tela danificada de um celular, o preço cobrado na assistência é, em média, de 900 reais. Nessa época de crise, a quantidade de aparelhos recebidos pelas assistências técnicas triplicou. O conserto tem compensado muito mais para o consumidor ao invés da compra.

O crescimento da demanda surpreendeu o proprietário da empresa Campinas Celulares, Clayton Mangulin: “Chegamos a receber mais de 30 aparelhos por dia. É muito cliente em busca do serviço. A crise econômica passou longe daqui. Tivemos, inclusive, que contratar novos funcionários e abrir um turno a mais de trabalho para suprir a demanda. É baixo custo no investimento para um alto retorno, até mesmo em tempos de crise.”

O número de celulares hoje no Brasil já é maior que a população. Atualmente são vendidos 100 novos smartphones por minuto no país. A necessidade de ter um ou até mais aparelhos é fundamental para qualquer pessoa. E praticamente todas as idades estão incluídas.

Um celular hoje em dia substitui o GPS, câmera digital, laptop, sem contar as multi funções oferecidas para os usuários. “É um ramo de negócio que vale realmente a pena. Quem nunca teve o aparelho danificado ou conhece alguém que deixou o celular cair, quebrar, molhar? As assistências técnicas estão aqui para auxiliar o cliente justamente nessas situações que são tão corriqueiras”, comentou o proprietário Clayton Mangulin.

Hoje, no país, aproximadamente uma a cada dez franquias pertence ao setor de serviços. Uma grande vantagem pra quem decide investir nas franquias desse ramo.

Segundo a Associação Brasileira de Franquia, esse foi um dos segmentos que mais cresceu no ano passado entre todos os segmentos de franquia. “A Campinas Celulares foi fundada há oito anos, já possui uma unidade própria e cinco franquias na cidade de Campinas, região e outros estados. O momento, mesmo de crise, só mostra que a nossa tendência é crescer em um ritmo acelerado”, finalizou o proprietário da rede Campinas Celulares, Clayton Mangulin.

A economia tem caminhado nesse sentido. Quem hoje conserta, lucra muito mais no momento de contenção de despesas do consumidor. O mercado de serviços de reparos vira opção importante para quem deve poupar e direcionar os gastos para o que é realmente essencial.

Comentários