Corinthians perde para o Independiente em casa e grupo fica embolado

O Corinthians conheceu sua primeira derrota na Libertadores da América nesta quarta-feira e se complicou no Grupo 7, que ficou embolado. O time brasileiro recebeu o Independiente, na arena de Itaquera, e perdeu por 2 a 1.

Mesmo com a derrota, o Corinthians ainda é o líder da chave, com sete pontos, mas vê a briga esquentar. O Independiente chegou aos seis pontos, na segunda colocação, empatado com o Deportivo Lara, que só fica em terceiro pelo saldo de gols (0 para os argentinos e -4 para os venezuelanos). O lanterna é o Millionarios, da Colômbia, com quatro pontos, mas que também ainda está vivo na briga.

O Independiente não se intimidou com a presença da torcida corintiana e, logo no primeiro minuto, já partiu para o ataque e saiu na frente. Meza tocou para Silvio Romero, que bateu para o gol. Cássio conseguiu espalmar, mas no rebote, Martín Benítez marcou.

O time argentino seguiu melhor, obrigando Cássio a trabalhar em chute de Meza e ainda acertou o travessão com finalização de Bustos. De tanto insistir, o segundo gol saiu aos 24 minutos. Após cobrança de escanteio de Meza, pela esquerda, Romero desviou e enganou Cássio, marcando gol contra.

A resposta do Corinthians foi aos 31 minutos. Romero recebeu na entrada da área, girou em cima da marcação e tocou para Jadson deslocar o goleiro e diminuir a contagem.

No segundo tempo, o Corinthians seguiu em busca do gol de empate, empurrando a equipe argentina para o campo de defesa, mas se complicou aos 35 minutos, quando Emerson Sheik, que tinha acabado de entrar e sequer participou do jogo, deu entrada dura em Meza, sem bola, e foi expulso.

Com um jogador a menos, o time brasileiro não conseguiu mais levar perigo ao gol de Campaña e, mesmo tentando até o final, conheceu sua primeira derrota na Libertadores.

O Corinthians só volta a jogar pela Libertadores na quinta-feira, dia 17 de maio, quando visita o Deportivo Lara, na Venezuela. No mesmo dia, o Independiente visita o Millionarios, no El Campín, na Colômbia.

Fonte: FPF

Comentários