Capivari sedia Circuito Sesc de Artes

Música, dança, teatro, circo, literatura e artes visuais. A Praça Central de Capivari será palco de um dos 14 roteiros do Circuito Sesc Artes, no dia 05 de maio.

O lançamento do projeto foi realizado na tarde de terça-feira, dia 18, na sede do Sesc Belenzinho, em São Paulo. Na data, os representantes dos 118 municípios participantes receberam um cronograma das apresentações artísticas que serão realizadas em cada cidade, além de poderem acompanhar um pouco do que a população poderá ver durante a realização do Circuito Sesc de Artes.

O município de Capivari faz parte do Roteiro 3 e receberá as seguintes atrações:

– Sticker Art Adesivos Personalizados: o Coletivo SHN (SP), que soma quase 20 anos de produção de stickers e arte de rua, transmitirá sua experiência ao público. Serigrafia, carimbo, desenho e colagem são algumas das técnicas simples e acessíveis que os participantes poderão usar para desenvolver suas próprias etiquetas adesivas.

– Polaroide Poética: o público será convidado a escrever seus próprios poemas manipulando as palavras de autores como Manoel de Barros, Aline Ruiz e Sergio Vaz. Depois de fixar as palavras em um quadro metálico, o escritor é fotografado com sua produção e leva a imagem para casa.

– Carrilhão: Mercadores de diferentes épocas e lugares do planeta ganham vida no espetáculo cheio de acrobacias e truques de equilíbrio. Os vários personagens exploram questões como a paixão pela prosa, a simpatia do mascate e aquilo que está em jogo em uma negociação: produtos, mas também palavras e ações.

– Orquestra Frevo Capibaribe (PE): patrimônio imaterial da humanidade, o frevo se apresenta em uma manifestação musical e dançante nesta celebração. O show faz um passeio pelos bailes e desfiles dos tradicionais blocos do Carnaval de Recife e Olinda, principiando com um cortejo de aquecimento e culminando numa grande festa

– Cine Dance! (SP): O público se apropria de coreografias icônicas do cinema nesta instalação interativa. Munidos de figurino e fones de ouvido, os participantes dançam guiados por cenas como os clássicos passos de Gene Kelly na chuva, de Singin’ In the Rain, ou a dança imperdível de Jennifer Grey e Patrick Swayze em Dirty Dancing.

– Yebo: a batida de botas de borracha no solo deu origem ao gumboot, dança popular criada pelos trabalhadores das minas de ouro e carvão da África do Sul no século XIX. Neste espetáculo, bailarinos apresentam a dança, que faz uso da base rítmica, da percussão corporal e do canto.

– Homem da Silva: esta tragédia contemporânea pondera sobre o homem e suas escolhas, tratando de decisões tomadas em situações-limite. Da Silva se depara com uma proposta de emprego inacreditável, absurda. Ninguém aceitaria, mas ele tinha como meta o trabalho e o sustento da família e foi em frente, questionando sua própria dignidade. Denso e intimista, o espetáculo é um convite à reflexão.

 

Comentários