Artigo – As Profissões Importantes – por Douglas S. Nogueira

         Muitas profissões no Brasil são tidas como desprezíveis e sem importância pela sociedade em geral, no entanto, são as mesmas que de uma maneira ou de outra impulsionam, edificam e caracterizam todo o nosso país.

         Dona de casa ou diarista como queira, pedreiro, servente, faxineiras (os), varredores e coletores públicos de lixo são apenas algumas das profissões de valor que a sociedade brasileira de um modo em geral, ainda não aprendeu a respeitar e valorizar.

         No exterior a coisa muda de figura, profissões como essas são valorizadas ao extremo tanto em questão de remuneração como no valor individual de cada pessoa que exerce tais funções. Por quê razão nossa cultura e maneira de pensar, estão ainda tão distante dos estrangeiros? Não valorizamos nossa gente, principalmente a classe trabalhadora munida de pegada, valentia, caráter infelizmente não valorizamos, damos mais valor ao futebol, aos políticos e aos montadores de cavalos e touros em dias de rodeio.

         Para muitos brasileiros, o fato de uma pessoa coletar lixo pelas ruas correndo incessantemente atrás de um caminhão reciclador, catar humildemente latinhas ou vender produtos paraguaios na feira do domingo é algo vergonhoso, ridículo que não merece aplausos. Na cabeça de tal gente devemos aplaudir os políticos corruptos, os jogadores mercenários ou as dançarinas de funk que se exibem de forma descaracterizada a uma pessoa de bem.

         Profissão de valor e importância digna de aplausos, é aquela que de uma forma ou de outra traz-nos benefícios como é o caso do leiteiro ou do padeiro quer acorda às 5hs00 da manhã para preparar o pão que irá ser algo de importância no café matinal do trabalhador ou da criança preste a ir ao colégio, ou mesmo do jornaleiro que com seu esforço em entregar jornais em meio ao pôr do Sol, traz-nos o benefício da cultura e informação. Esses e tantos outros serviços são dignos de aplausos, respeito, valorização de nossa parte, devemos então parar, raciocinar e enxergarmos o tamanho da importância desses profissionais.

         Em faculdades, por exemplo, atos de desprezo por parte de alguns alunos em relação a faxineiros, porteiros e serviçais em geral é algo a ser ressaltado. Desprezam tais pessoas com ar de arrogância, achando eles os alunos que são os donos da verdade, reis do mundo, mal sabem que tais faxineiros limpam as imundices deixadas por eles dentro dos banheiros, que limpam as carteiras que serviram de instrumentos para cola nas provas, mal sabem.

         Empresas são outros exemplos a serem ressaltados. Funcionários do administrativo em diversos casos são arrogantes e se acham ricos, sócios da empresa, quando necessitam passarem pela produção transitam pela fábrica como se fossem presidentes da CIESP ou acionistas da Bolsa de Valores. Pessoas assim além de tudo, não possuem o conhecimento de que o maior bem capital de uma empresa está contido na força braçal da produção, e que além disso gastos deles da administração são tidos como despesas, perda de lucro para a organização, já os gastos da produção são tidos apenas como custos variáveis que são ressarcidos com a força daquele operador, que nem sequer recebe um bom dia do arrogantinho ou arrogantinha da área administrativa, pelo simples fato de estar vestido de macacão, uniforme, ou ter as mãos sujas e calejadas.

O que fazer para mudarmos a mente da sociedade brasileira, que não cessa em desvalorizar os verdadeiros trabalhadores? O que fazer para colocar na mente dessa gente arrogante e ingrata, que as profissões mais humildes são as mais importantes? A esperança é que um dia a solução venha à tona.

 

Douglas S. Nogueira

Técnico de Manutenção e Planejamento

Blog: www.douglassnogueira.blogspot.com

E-mail: douglas_snogueira@yahoo.com        

 

Comentários