Aprovado no Sisu deverá fazer matrícula nos dias 5, 6 e 7/2

Em 2018, na USP, foram reservadas 2.745 vagas para o Sisu; cursos divulgaram nota mínima

O candidato aprovado na chamada regular do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que utiliza a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para o ingresso na Universidade, deverá fazer sua matrícula presencialmente na USP nos dias 5, 6 e 7 de fevereiro. O Ministério da Educação (MEC) divulgará o resultado no próximo dia 29 de janeiro.

O aluno classificado deverá apresentar o certificado de conclusão do Ensino Médio ou diploma de curso superior (para os candidatos que já concluíram uma graduação); o histórico escolar; um documento de identidade oficial e uma foto 3×4 recente.

O candidato que se autodeclara preto, pardo ou indígena (PPI) deverá, no ato da matrícula, assinar formulário de autodeclaração confirmando a informação prestada no processo de inscrição como pertencente ao grupo PPI.

A matrícula deverá ser feita na Unidade de Ensino e Pesquisa para qual o candidato foi aprovado. Clique aqui e acesse a íntegra do edital, com todas as informações sobre o cronograma, os horários e os locais para matrícula.

Nota mínima

Em 2018, na USP, foram reservadas 2.745 vagas para o Sisu, que estão distribuídas em três modalidades: 423 serão para ampla concorrência; 1.312 para estudantes que tenham cursado o ensino médio integralmente em escolas públicas; e 1.010 para alunos oriundos de escolas públicas e autodeclarados pretos, pardos e indígenas (PPI). Em relação ao vestibular de 2017, houve aumento de 407 vagas.

Neste ano, todas as 42 Unidades de Ensino e Pesquisa da USP disponibilizaram vagas para o Sisu, sendo que três delas aderiram ao sistema pela primeira vez: a Escola de Engenharia de São Carlos (EESC), a Faculdade de Medicina (FM) e o Instituto de Física (IF). Nos links a seguir estão publicadas as tabelas com a distribuição das vagas por área – HumanasExatas e Biológicas.

Clique aqui e confira as notas mínimas para cada um dos cursos oferecidos pela USP.

 

 

Agência USP de Notícias.

Comentários