Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

SESI de Santa Bárbara participará da seletiva do 8º Torneio SESI-SP de Robótica

 


O Sesi de Santa Bárbara d´Oeste participará no próximo dia 18/11, na cidade de Indaiatuba da seletiva do 8º Torneio SESI-SP de Robótica, categoria First Lego League (FLL), que  reunirá 972 estudantes do ensino fundamental da entidade em nove seletivas regionais, que serão realizadas em todo o estado. Além da equipe local, também participam da mesma etapa times de Indaiatuba, Campinas, Americana, Hortolândia, Nova Odessa  e Sumaré.

 

A “Reboot´s” é a equipe do CAT Américo Emílio Romi de Santa Bárbara d’Oeste que participará desta seletiva é formada por 6 estudantes do 8º ano do Ensino Fundamental: Isabelli Natália da Silva, Heloisa Machado, Andressa Beatriz Martim, Giovana Casa Grande Burioli, Vinícius Gusmão, Matheus Martins Mendonça.

 

“De que forma a interação entre o Homem e os Animais pode contribuir para uma vida melhor para todos?

Responder a esta pergunta e encontrar soluções inovadoras para o tema Animal Allies (Animais Aliados) faz parte da missão dos estudantes da equipe de robótica “, comentou Luciano Scognamiglio” – Analista de Informática  e técnico da equipe  local.

 

“A participação no evento, já tradicional na unidade SESI local, proporciona aos estudantes a oportunidade para desenvolver um projeto de pesquisa que tem a intenção de interferir diretamente no processo de tratamento de Zoofobias (medo exagerado de animais), mais especificamente a Cinofobia (medo de cães) por meio da Terapia Cognitiva Comportamental. Através da invenção de um equipamento simples e de baixo custo, o psicólogo comportamental poderá fazer uso do que foi nomeado como Box Allie (Caixa Aliada) encorajando o paciente a tocar no animal que se tem medo, convidando-o a interagir com o mesmo e conduzindo-o num processo chamado de Dessensibilização Sistemática, onde o medo é tratado em fases bastante distintas até que não se perceba mais o problema e a convivência entre Homem e Animais possa ser natural”, acrescentou Elisângela Lambstein Franco de Moraes – Coordenadora Pedagógica e Mentora da Equipe.

 

“O projeto é maravilhoso! O estudo da robótica faz parte da nossa grade curricular e é um grande diferencial da rede SESI de escolas. Na nossa Unidade todos os funcionários e professores se envolvem e apoiam os estudantes, convidando-os sempre a vivenciar na prática os diferentes conhecimentos e estudos adquiridos no cotidiano escolar” comentou  André Luis Vigneron, Diretor do SESI local.

 

Os melhores times de cada seletiva se classificarão para a Etapa Estadual do torneio, dias 6 e 7 de dezembro, no SESI de Presidente Epitácio. As equipes que obtiverem os primeiros lugares na competição estadual terão o direito de participar da Etapa Nacional, que será realizada em março de 2017, em Brasília. Depois, os melhores do país se credenciam para a disputa de torneios internacionais.

 

Muito mais que robôs – A cada temporada, além de construir e programar robôs, os alunos são desafiados a desenvolver um projeto de pesquisa que ofereça solução prática e inovadora para um problema do mundo real. Para os próximos torneios da FLL o tema será Aliados Animais, que incentivará os competidores a melhorar a forma como seres humanos e animais interagem um com o outro. Alguns exemplos de como isso já ocorre são os sistemas de proteção a animais ameaçados de extinção, as ordenhas automatizadas e a condução de pessoas cegas por meio de cães-guia.

Durante a competição, o momento mais animado é quando os robôs entram em ação. Conhecida como Desafio do Robô, essa etapa exige que os estudantes construam e programem um robô autônomo, capaz de cumprir missões predeterminadas. A prova é realizada em uma mesa de competição, na qual os robôs devem executar as tarefas programadas em até dois minutos e meio.

As equipes são compostas por seis alunos, um técnico e um mentor. A pontuação de cada time é baseada em três requisitos: projeto de pesquisa (inovação, apresentação e pesquisa); projeto do robô (design do robô, programação e estratégia e inovação); e core values (inspiração, trabalho em equipe e profissionalismo).

 

Incentivar a cultura científica – O Torneio SESI-SP de Robótica é voltado aos estudantes do Ensino Fundamental II da entidade e tem como objetivo desenvolver nos alunos da rede escolar competências e habilidades nos campos da Ciência e da Tecnologia, utilizando contextos do mundo real.

Segundo o Superintendente do SESI-SP, Walter Vicioni Gonçalves, o objetivo do programa de robótica é estimular no aluno o interesse pelo estudo da Ciência e da Tecnologia e trabalhar o desenvolvimento de competências e habilidades. “Arobótica é uma ferramenta pedagógica que ajuda a fixar os conceitos desenvolvidos em sala de aula e a formar cidadãos plenos, jovens que contribuirão para construir um Brasil diferente, um Brasil que dá certo”.

Na metodologia utilizada no SESI-SP as crianças são estimuladas a desenvolver competências e habilidades para a aplicação da ciência, desmistificando o uso da tecnologia na vida moderna. “Em nosso modelo educacional, o estudante é estimulado o tempo todo a pensar, pesquisar e fazer novas descobertas”, completa Vicioni.

Os trabalhos na área de robótica são desenvolvidos em sala de aula e supervisionados por analistas de suporte em informática. O evento tem como parceiro a organização norte-americana For Inspiration and Recognition of Science and Technology (FIRST), fundada em 1989 para estimular o ensino e a prática da ciência e da tecnologia entre os jovens.

Mundialmente, a entidade congrega mais de 212 mil estudantes, 19,5 mil times, 17,5 mil robôs, 57 mil mentores e 33 mil voluntários. Para saber mais sobre o 8º Torneio SESI-SP de Robótica e as equipes participantes, acesse:facebook.com/roboticasesi.

 

 

 

Comentários

Dennis Moraes