Qual o preço do conhecimento?

Para professor da IBE-FGV, os resultados falam pelo profissional que investe em informação

Para o professor de gestão, marketing e liderança da IBE-FGV, André Ortiz, a questão é muito simples. “Ter conhecimento ou ser ignorante. O que você prefere?”

 

Em mais de 10 anos de consultoria, Ortiz já ministrou cerca de mil palestras de vendas e motivação em todos os estados do Brasil. Aproximadamente 400 empresas o receberam para uma plateia de mais de três milhões de pessoas.

 

Em suas palestras motivacionais, o professor une conteúdo e humor, contagiando todo o público. Para falar sobre o preço do conhecimento, ele é direto. Para quem quer crescer na vida não basta apenas trabalhar. “É preciso buscar conhecimento”.

 

“Você, eu, todos nós devemos conhecer pessoas que venceram na vida começando praticamente do zero. Trabalharam muito e, com o tempo, foram se especializando e aprendendo a respeito do que fazem”, exemplifica.

 

As histórias de superação são muitas, mas tudo depende de uma coisa: “escolha”, diz. “Alguns reclamam muito, outros se superaram diariamente”.

 

O preço da ignorância é que enquanto você espera, seu concorrente pode estar agora mesmo em uma sala de aula.

 

“Talvez seja a novela, o futebol, as amizades”. Ortiz alerta que é preciso identificar o que segura a sua caminhada. “Quando ele terminar o que está estudando, valerá mais do que você, devido aos resultados que ele irá apresentar”.

 

Mas, quando você escolhe aprender formalmente, seu aprendizado acontece em 360 graus. “Na sala de aula, com os professores, com os outros alunos, com os demais funcionários. Você sobe a outro nível”.

 

“E nenhum dinheiro investido se compara ao seu reconhecimento pelos resultados apresentados após as informações que recebeu”, avalia o professor.

Comentários

Notícias relacionadas