Guilherme Tiosso questiona transporte de animais na Festa do Peão de Americana


Foto: Dennis Moraes

O vereador Guilherme Tiosso protocolou nesta sexta-feira (17), requerimento encaminhando ao executivo, onde solicita informações sobre o transporte de animais que serão utilizados no desfile de cavaleiros e na festa do Peão de Americana.

Segundo o vereador, o fato de o evento reunir animais de diversos estados pode trazer o risco da disseminação de doenças, inclusive em contaminação em humanos. O argumento se baseia na legislação estadual, por meio da Resolução SAA 19, publicada pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo em 15 de abril de 2013, onde estabelece que o transporte de equídeos, independente de origem, destino e finalidade, somente está autorizado a ser realizado mediante acompanhamento da Guia de Trânsito Animal (GTA), resultado de exame negativo de fixação de complemento para Mormo, resultado negativo para o exame de Anemia Infecciosa Equina (AIE), atestado de vacinação contra a Influenza Equina, atestado veterinário de ausência de sinais clínicos de doenças infecto contagiosas e demais documentos zoosanitários e fiscais que fizerem necessários, exigidos pela legislação sanitária animal pertinente.

 

“As normas criadas pela resolução citada são de extrema importância para a prevenção do contágio de diversas doenças graves entre os animais e para os seres humanos. A ‘mormo’ é um exemplo de doença infecciosa que atinge cavalos e tem uma chance de 95% de letalidade caso seja contraída por seres humanos. A doença, apesar de ter tido poucos casos no Brasil, é altamente preocupante, visto que seria necessário o sacrifício de diversos animais caso confirmado o diagnóstico da doença neles. Além disso, é de conhecimento geral que o Desfile dos Cavaleiros e a Festa do Peão atraem milhares de pessoas em suas edições, fazendo com que um possível diagnóstico de ‘mormo’ ou quaisquer outras doenças nos animais que estarão presentes no evento seja ainda mais alarmante”, argumentou Tiosso no requerimento.

 

Guilherme deixou claro que a iniciativa é apenas o começo de várias atividades na defesa dos animais que serão tomadas a partir de agora no evento. “Meu compromisso é com o bem estar animal, e isso não vou abrir mão, a festa tem que beneficiar o conjunto da obra não apenas a interesses econômicos”, finalizou.

Comentários

Notícias relacionadas