Em resposta a Carlão, prefeitura informa que uniformes serão comprados conforme pedidos das unidades


Em resposta ao vereador Antônio Carlos Ribeiro, o Carlão Motorista (PDT), autor do Requerimento 49/2017, a Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste informou que a Secretaria Municipal de Educação irá disponibilizar uniformes para as escolas de acordo com a solicitação dos dirigentes de cada unidade. Em 2015, conforme levantamento encaminhado ao parlamentar, 21 unidades de ensino, incluindo CIEPs (Centro Integrados de Educação Pública), EMEIs (Escolas Municipais de Educação Infantil) e EMEFEIs (Escolas Municipais de Ensino Fundamental e Educação Infantil), pediram mais de 6 mil peças, contando camisetas, bermudas, calças, jaquetas, calças legging e shorts saia. No ano passado, apenas sete unidades receberam uniformes, num total de 255 unidades. A Prefeitura também encaminhou planilha ao parlamentar com o valor total dessas compras.

Em 2014, de acordo com a Prefeitura, todos os alunos da rede municipal receberam uniformes. Já em 2013, essas peças de vestuário não foram entregues, também de acordo com a Administração, que não informou os motivos. Até o momento, a Secretaria Municipal de Educação conta com 14.328 alunos matriculados. Em 2016, eram 14.472, enquanto em 2015 a rede municipal contava com 14.355 estudantes. Ainda de acordo com a Secretaria de Educação, em 2016 os uniformes foram distribuídos aos alunos cujos pais que não puderam comprar. Essa Secretaria informou, ainda, que em 2016 foram atendidas 337 crianças pelo programa Bolsa Creche da Prefeitura, contra 277 em 2015, 247 em 2014, e 124 em 2013.

No pedido de informações, protocolado no dia 13 de janeiro, Carlão destacou que, apesar de não ser uma obrigação legal, a distribuição de uniformes escolares é uma prática rotineira no município e beneficia pais de alunos em situação de vulnerabilidade social. “Infelizmente, existem muitas famílias que não possuem condições financeiras de adquirir roupas para seus filhos. O uniforme iguala esses alunos e agrega as crianças mais carentes, sendo de grande utilidade sobretudo no período de frio, quando esses alunos precisam estar agasalhados”, disse Carlão.

 

Comentários

Notícias relacionadas