Variedades 

É possível refinanciar um imóvel que não está quitado?

A maioria das pessoas já ouviu falar em hipoteca, mas desconhece o termo refinanciamento imobiliário e nem sabe os benefícios dessa ação. Se você faz parte dessa maioria, saiba que eles são sinônimos e significam quase o mesmo no mercado imobiliário, contudo, há pequenas diferenças entre os dois.

 

Neste artigo vamos explicar para você como funciona e se é possível refinanciar um imóvel que ainda não foi quitado. Você também saberá quais as vantagens de requerer um empréstimo nessa modalidade e também ter certeza se ele é a solução ideal para a sua situação.

 

Há alguns anos a palavra “hipoteca” vem caindo em desuso, dando lugar à expressão “refinanciamento imobiliário”. Em vias gerais, os dois termos designam a ação de fazer um empréstimo e dar o imóvel como garantia. Ou seja, se você não cumprir com sua dívida, você perde seu imóvel para o banco.

O que é um refinanciamento imobiliário?

Esse é um tipo de empréstimo, na qual o imóvel do cliente é dado como garantia de quitação das parcelas bancárias.

 

Sendo assim, o não pagamento das prestações previamente ajustadas autoriza o banco a leiloar o bem para quitar o que ainda resta. Por conta do alto risco, os juros são menores se comparadas com outras modalidades de empréstimo.

 

Em muitos casos, o valor liberado por esse tipo de refinanciamento chega à 60% do valor total do imóvel que foi posto como garantia. Isso significa que se um imóvel vale R$ 500 mil reais, o valor liberado para empréstimo pode ser no máximo de R$ 300 mil reais.

 

O valor mínimo de empréstimo liberado nesses casos é de 10% do valor total. No exemplo dado acima, isso equivaleria a 50 mil reais. O refinanciamento imobiliário permite que o prazo de pagamento varie de 2 a 20 anos, conferindo ao inquilino um bom tempo para quitar a dívida e se planejar bem para não perder o imóvel.

O que é necessário para requerer o empréstimo?

Em primeiro lugar, é necessário que o indivíduo que deseja entrar com o pedido seja proprietário de um imóvel – quitado ou não. Ou seja, que ele tenha uma propriedade com o seu nome e apresente a escritura e a matrícula da mesma. Sem esses documentos, não é possível comprovar se o indivíduo é mesmo o dono.

 

Em segundo lugar, o candidato ao refinanciamento deve comprovar que possui renda suficiente para honrar com o pagamento das parcelas. Isso significa comprovar que as parcelas do empréstimo não serão de mais do que um terço da sua renda mensal.

Como realizar o refinanciamento do imóvel não quitado?

Pouca gente sabe, mas é sim possível realizar o refinanciamento de um imóvel que ainda não foi quitado. Em uma situação como essa, existem alguns pré-requisitos que precisam ser avaliados pelo banco.

 

Nessa modalidade de refinanciamento, o requerente é bastante beneficiado caso consiga o empréstimo. Isso porque com o dinheiro recebido, poderá quitar o bem e conseguir um período mais tranquilo para o pagamento e taxas de juros bem mais baixas que as oferecidas pelo mercado.

 

Entretanto, para dar entrada nessa modalidade de empréstimo, é necessário avaliar a viabilidade da operação. Isso significa que deve ser previamente analisado pelo proprietário o valor do imóvel e o valor necessário para a quitação do mesmo.

 

Ou seja, a quantia restante para a quitação do financiamento não deve ser superior à metade do valor do imóvel. A grande vantagem do refinanciamento de um imóvel que ainda não foi quitado, é que ele pode utilizado como garantia para levantar recursos financeiros.

 

Sem haver a necessidade de desocupar o apartamento ou a casa para solicitar o crédito, essa pode ser uma boa alternativa para alguém nessa situação.

 

Seja hipoteca ou refinanciamento imobiliário, vale a pena investigar quais as suas opções na hora de ir ao banco pedir um empréstimo. Certamente, você irá encontrar uma possibilidade que mais te beneficie e atenda às suas necessidades após uma boa pesquisa.

 

Se for o seu caso, podemos citar vantagens de um refinanciamento imobiliário como sendo as baixas taxas de juros, mais tempo disponível para quitar a dívida e a possibilidade de requerer um empréstimo possuindo um imóvel ainda não quitado.

 

Por isso, recomendamos fortemente que você pesquise taxas e faça suas contas para escolher a melhor forma de empréstimo para o momento da sua vida. Tudo isso faz diferença na hora de decidir qual modalidade aderir.

Comentários

Notícias relacionadas