24Horas Esportes 

Dirigente da Fifa recebeu R$ 200 mil para apoiar candidatura do Brasil à sede da Copa, diz jornal

Responsável por organizar o Mundial no Brasil, Valcke serviu de consultor e lobista do País

Jerome-Gazeta-700x400

Foto: Gazetapress

O atual homem forte da Fifa no que diz respeito à Copa do Mundo, Jérôme Valcke, recebeu cerca de R$ 200 (100 mil dólares) para apoiar a candidatura do Brasil para sede do torneio em 2014, revelou nesta quarta-feira (30) o jornal Folha de S. Paulo.

Secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke atuou como consultor da candidatura, fazendo parte da formulação do projeto brasileiro, e como lobista, convencendo pessoas com direito a voto no Comitê Executivo da entidade a votar a favor do Brasil.

De acordo com a Folha de S. Paulo, o secretário da Fifa estava afastado da entidade quando atuou como consultor. Ele fora punido por ter dado um prejuízo de aproximadamente R$ 180 milhões por trocar o patrocínio da MasterCard pelo da Visa na cota máster das Copas do Mundo. Na época, Valcke comandava o setor de marketing da Fifa.

A consultoria foi oferecida à CBF por meio de uma mensagem eletrônica enviada ao ex-presidente da Confederação, Ricardo Teixeira. No e-mail, Valcke se ofereceu para criar um comitê nacional, cuidar de patrocínios e das finanças do torneio e até para convencer o governo brasileiro a apoiar a candidatura.

Após prestar os serviços para a CBF, Valcke foi realocado na Fifa e passou ao cargo de secretário-geral, um dos cargos mais altos na entidade. Ele é a ligação direta da Federação Internacional com os comitês organizadores da Copa no Brasil.

Recentemente, gerou constrangimento geral ao afirmar que o Brasil merecia “um chute no traseiro” por atrasar a preparação para o Mundial.

Fonte: R7

Comentários

Leia também...

Deixe uma resposta