24horas Variedades 

Dia Nacional do Sistema Braille: Laramara defende a importância do Braille na inclusão social de pessoas cegas e com baixa visão

O Dia Nacional do Sistema Braille é comemorado hoje, 8 de abril, no Brasil, primeiro país da América Latina a adotar oficialmente o Braille, em 1854. Em São Paulo, a LaramaraAssociação Brasileira de Assistência à Pessoa com Deficiência Visual, desde 2004, produz máquinas de escrever em braille com pioneirismo no Brasil, tornando o país no único da América Latina a oferecer essa tecnologia.

Além de disponibilizar atendimento direto, ações de assessoramento, defesa e garantia de direitos à pessoa com deficiência visual, a Laramara já produziu mais de 4.170 máquinas com selo brasileiro, possibilitando que crianças e jovens tenham acesso ao recurso gratuitamente e contribuindo para o desenvolvimento e a inclusão social.

Para Janie Ferreira F. Bispo, dona de casa e mãe de Gabriel, de 10 anos, o Bbraille auxilia na independência do menino, além de estimular a leitura “O Braille mostrou ao Gabriel e a nós, pais, que é possível uma criança com deficiência visual ser alfabetizada, conhecedora e inteligente. Apesar de toda a tecnologia de hoje, esses pontinhos têm um lugar fundamental na sociedade.”

Atualmente, há um movimento de “desbraillização”, que tem a tecnologia como única ferramenta para o aprendizado dos alunos com deficiência visual. Para Eliana Paulino, professora, pedagoga da Laramara, especializada em ensino Braille, esse recurso é importante, mas a apenas o Braille pode garantir a educação de pessoas cegas e com baixa visão. “Somente por meio desse sistema os alunos podem conhecer os símbolos da Matemática, Química, Física e outras ciências; reconhecer a adaptação de tabelas, gráficos, mapas, figuras geométricas e outras ilustrações, além de garantir a oportunidade de aprender a ortografia da Língua Portuguesa e de outros idiomas.”, comenta.

Reconhecida por prêmios nacionais e internacionais, a instituição também atua no desenvolvimento de ações de caráter socioassistencial que buscam o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários, e já desenvolveu mais de 100 brinquedos inclusivos como jogos adaptados; recursos pedagógicos, incluindo o livro Brincar Para Todos, escrito pela presidente da ONG, Mara Siaulys.


Sobre a Laramara
Fundada e 1991 pelo casal Mara e Victor Siaulys, pais de Lara, que ficou cega ao nascer prematura, a Laramara já atendeu mais de 11 mil famílias e virou referência nacional e internacional por suas ações e projetos assistenciais pioneiros. Para habilitação e reabilitação, a ONG se diferencia por reunir iniciativas focadas no mercado de trabalho, na educação, na cultura, na recreação e no lazer. Também foi responsável por trazer a fabricação de máquinas de escrever em braille ao Brasil e distribuir gratuitamente muitos desses equipamentos por meio de parcerias com empresas privadas.

www.laramara.org.br

Comentários

Notícias relacionadas