qua. jan 22nd, 2020

Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

CONSTELAÇÃO SISTÊMICA FAMILIAR APLICADA AO DIREITO É TEMA DE PALESTRA NA OAB

A OAB Limeira vai receber, no dia 19 de julho, a advogada e terapeuta Beatriz Ribeiro que ministrará a palestra “Constelação Sistêmica aplicada ao Direito: conheça os benefícios da técnica na mediação de conflitos”.

 

O tema, amplamente difundido no Poder Judiciário, vem sendo utilizado como reforço antes das tentativas de conciliação em vários estados. De acordo com o site do Conselho Nacional de Justiça, pelo menos 11 estados (Goiás, São Paulo, Rondônia, Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraná, Rio Grande do Sul, Alagoas e Amapá) e o Distrito Federal já utilizam a dinâmica da “Constelação Familiar” para ajudar a solucionar conflitos na Justiça brasileira. A medida está em conformidade com a Resolução n. 125/2010 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que estimula práticas que proporcionam tratamento adequado dos conflitos de interesse do Poder Judiciário.

 

Em Limeira, a palestra terá início às 19h30, com duração de uma hora e meia. Durante o evento, Beatriz que atua há quase 20 anos como advogada, vai explicar como a Constelação é utilizada e, principalmente, os benefícios que ela traz na resolução de conflitos. “Na faculdade não aprendemos a conciliar e isso reflete no nosso trabalho diariamente e, de certa forma, prejudica o cliente. Essa técnica vem para humanizar práticas de conciliação no Judiciário”, destacou.

 

A intenção da utilização da técnica criada pelo psicólogo alemão Bert Hellinger no Judiciário é buscar esclarecer para as partes o que há por trás do conflito que gerou o processo judicial. Os conflitos levados para uma sessão de constelação, em geral, versam sobre questões de origem familiar, como violência doméstica, endividamento, guarda de filhos, divórcios litigiosos, inventário, adoção e abandono.

 

Na prática, é necessário que um terapeuta especializado comande a sessão de constelação. Na capital federal, a técnica vem sendo aplicada dias antes das tentativas de acordo em seis unidades do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT), como no Centro de Conciliação e Solução de Conflitos (Cejusc) Superendividados.

 

 

Comentários

Dennis Moraes