24horas Artigos / Opinião 

Como saber se você dá o melhor de si?

Sabe aqueles conceitos que existem para nos ajudar e que, na verdade, acabam nos causam ansiedade e sofrimento? Pois, segundo a atleta de alta performance Fernanda Surian, “dar o melhor de si” é um deles. Será que é apenas atingir metas? Ou está muito mais conectado com o momento de vida que você está vivendo? Afinal “dar o melhor de si”?

 

Para a atleta de alta performance Fernanda Surian, “dar o melhor de si” pode ser um conceito tão subjetivo quanto a vida: “eu posso ter dado o melhor de mim e, ainda assim, sair péssima de uma situação. Ou eu posso ter alcançado resultados incríveis em algo a que me propus e, mesmo assim, ficar com uma sensação de que eu poderia ter me entregado mais”. Ela questiona: “o que é “dar o melhor de si”? Dar o seu melhor e atingir metas e resultados não é uma equação direta, não necessariamente são as mesmas coisas”, explica.

Segundo Fernanda, ao longo do tempo e da troca de experiência no box, é muito natural confundir os conceitos: “eu mesma fui e sou, muitas vezes, refém disso. Mas o problema é que essa confusão pode gerar ansiedade ou baixo astral, que são tão prejudiciais quanto desnecessários”, enfatiza Fernanda, que complementa: tem gente se sentindo perdida, sim: “não consegui atingir a meta, então não dei o melhor de mim”. Será?

A atleta lembra: “tem vezes que a gente não atinge meta nenhuma, mas sabe que deu o melhor de si naquele dia, até porque não somos iguais todos os dias, nossa energia não é a mesma todos os dias e as nossas tarefas também mudam todos os dias. Sabe quando a gente fica feliz mas com aquela interrogaçãozinha no fundo do peito, que fala “e se eu tivesse ido um pouco além”?, pois ela precisa de uma medida, para não virar pressão.

Para Fernanda, o que funciona é colocar uma intenção do treino do dia: “entender por que eu estou treinando, qual é o resultado que eu quero naquele dia, estabelecer  um objetivo concreto, me ajuda a medir, por objetivos, se o resultado foi bom”. Segundo ela, sair do plano das ideias e levar o resultado para o concreto ajudar a fugir da armadilha da auto cobrança.

Ela dá algumas dicas:

  • Crie objetivos reais para o seu dia. Em cima de metas que você sabe que consegue atingir;
  • Procure formas de dissociar sua sensação de dever cumprido de resultado. Deixe para vincular os dois quando seu treino já for consistente ou para quando você já se conhecer dentro daquelas combinações do WOD;
  • Se compare com você mesmo. Melhorei meu desempenho em comparação com meu próprio resultado de ontem? O que estou aprendendo com isso tudo?
  • A questão de criar objetivos e saber se deu o melhor de si parte de se ter autoconhecimento. De entender seus reais motivos de treino e criar formas de mensurar. É saúde? Então perceba se está dormindo melhor, se tem mais disposição. É estética? Então veja como está seu corpo, seu peso, suas medidas. É performance? Estipule metas reais e vá atrás delas.
  • Uma dica final e muito importante: alegria é sempre um indicativo de que as coisas estão indo por um bom caminho.  Cuide para que treinar seja um momento ótimo do seu dia. Acredite, será bem mais fácil “dar o melhor de si” assim.

Sobre Fernanda Surian

Professora de inglês desde 2008, Fernanda já coordenou professores, deu aula fora do Brasil e agora oferece um curso próprio com foco em inglês instrumental. Formada em nutrição, Fernanda foi se especializar no inglês cursando tradução e legendagem. É certificada por Cambridge e pelo CELTA. Em 2014, Fernanda se apaixonou pelo mundo do Crossfit e começou uma carreira de atleta de alta performance. Desde 2016, Fernanda uniu os dois mundos e hoje compartilha em seu blog informações preciosas sobre técnica, treino e autoconhecimento e oferece cursos com foco nesse universo do esporte, para ajudar coaches e alunos a melhorarem seu desempenho.

 

www.fernandasurian.com| fernanda@fernandaidiomas.com.br

Comentários

Notícias relacionadas