24horas Artigos / Opinião 

Caso Danilo Gentili, ser babaca é direito constitucional, afirma, Procurador da República

Permitir que uma pessoa seja condenada por subjetivismos, é flertar com o autoritarismo. Foto: Camila Petry

Liberdade de expressão é o primeiro dos direitos fundamentais. Por meio dele que se exercem os demais.

Não importa se você gosta da pessoa ou acha o que ela diz babaquice.

Permitir que uma pessoa seja condenada por subjetivismos, é flertar com o autoritarismo.
Durante a ditadura tivemos a expressão genérica “moral e bons costumes”, que serviu para toda sorte de violências e censuras.

O Brasil cunhou uma nova: “discurso de ódio”. O conceito é o mesmo: conferir ao Estado o poder de interpretar subjetivismos de modo a criminalizar opiniões.
Se você acha Gentili um babaca, essa condenação poderá ser um cavalo de tróia para que o babaca condenado no futuro seja você mesmo. Ser babaca é direito constitucional absoluto e ninguém pode ser condenado criminalmente por isso.

O humor tem uma função de resistência importante na Democracia. Mesmo no passado, em época de absolutismo, os bobos da Côrte eram os primeiros a ‘falar verdades’ para o rei. Os primeiros a tornar a crítica pública.

Liberdade de expressão!!! Deixa todo mundo falar, até os babacas, e não importa se você assim os considera.

Sobre Mario Ghanna

É Procurador da República, músico e compositor. Concorreu ao Grammy Latino, Prêmio Multishow de Música, Prêmio de Música Catarinense e conquistou a estatueta de “Melhor Álbum Latino” e ‘Melhor Artista Latino”, no The Akademia Music Awards, prêmio americano voltado à música independente.

Comentários

Notícias relacionadas