Portal SB24Horas

Conteúdo é aqui!

Aula é ministrada voluntariamente em escola ocupada de Sumaré, no Dia de Doar


Empresa social novaodessense discute Políticas Públicas com alunos responsáveis pela ocupação

 

Os estudantes que ocuparam a EE Savino Campigli, em Sumaré (SP), tiveram uma aula de Políticas Públicas, ministrada voluntariamente pela empresa de geração de conhecimento, Maestrello. A consultoria novaodessense promoveu a ação ontem, estimulada pela campanha global Dia de Doar, que acontece desde 2012 e movimenta mais de 80 países.

Contrários à reorganização escolar em ciclos únicos, os alunos tomaram o colégio do Jardim Dall’Orto no dia 25, mas somente a partir de sábado (2) que passaram a contar com atividades educativas e culturais; antes, eles se dividiam para funções de limpeza e vigia do espaço, apenas.

“O Brasil se juntou à campanha mundial no ano passado, quando a Maestrello já difundiu a cultura da doação em Nova Odessa (SP). Como o assunto do momento é a reorganização proposta pelo Estado/ocupações das escolas, procuramos os estudantes das unidades de ensino da região ocupadas que estavam dispostos a ter uma aula com a gente, foi quando chegamos até à Savino Campigli, onde fomos recepcionados com desconfiança, mas, após o término da atividade, recebemos aplausos pela iniciativa”, afirmou a educadora Ana Lúcia Maestrello.

Os alunos se uniram para evitar a transferência do Ensino Médio de lá para outro colégio sumareense. “Com essa mudança, que já vai fazer a gente andar mais, também haverá superlotação das salas de aula da outra escola, somadas às demissões em massa de professores e funcionários. Ao contrário do que o Governo está falando, o desempenho estudantil deve piorar”, pontuou o aluno do 2º ano, Alvaro Guilherme Oliveira de Sene.

A estudante Caroline Maria Conceição da Silva explicou a rotina do grupo responsável pela ocupação: “servimos o café às 8h, depois fazemos a limpeza, almoçamos, à tarde estão vindo palestrantes e algumas apresentações artísticas, daí jantamos, temos nossa assembleia e discutimos nosso dia, antes de dormir”.

Ainda de acordo com a aluna do 2º ano, a comunidade local é quem tem doado alimentos, produtos de higiene e limpeza para o grupo, que “é apoiado por 85% dos estudantes da Savino”. “O tempo que tenho fico com eles, tenho cuidado da alimentação. Os pais e mais dois professores também vêm ajudar. Aqui não há bagunça, eles mantêm o foco, não vão desistir – mesmo com as ameaças que estão recebendo”, ressaltou a professora de História, Dayane Oliveira.

Doando educação

Uma empresa social fundada em 2008 com o objetivo de disseminar o conhecimento para atender o interesse público, utilizando-se da Linguística como pilar fundamental para sustentar sua causa, essa é a Maestrello Consultoria, que também trabalha por uma natureza mais equilibrada e sociedades sustentáveis, graças à sua força comunicacional.

“A ação que celebrou o Dia de Doar teve como proposta ‘Doe Educação e Solução’, em que todo o grupo discutiu quais seriam as sugestões para sanar os problemas diagnosticados durante a ocupação. Os alunos sugeriram até o envolvimento da comunidade para solucionar algumas de suas reivindicações, como a falta de infraestrutura das escolas e ausência de diálogo com governantes. Nós direcionaremos o resultado desse trabalho à Secretaria de Educação de Sumaré”, informou Ana, diretora executiva da empresa.

Segundo o Ministério do Meio Ambiente, a campanha promovida pela consultoria, por meio de uma aula voluntária, é só mais um exemplo de incentivo à boa ação, que pode ser com a família, amigos, no trabalho ou mesmo sozinho, como doar sangue, roupas ou qualquer utensílio que não use mais; arrecadar dinheiro para organizações sociais; ou praticar o voluntariado; pois doar também é uma iniciativa sustentável.

“O Dia de Doar tem como objetivo inspirar, provocar reflexão e difundir a cultura da doação. Mas não é somente nesta data que é possível colocar a generosidade em prática”, concluiu o incentivador do movimento Dia De Doar no Brasil, Marcelo Estraviz, representante do Instituto Doar.

 

Comentários

Dennis Moraes