24Horas Curiosidades Tecnologia 

Aprenda a minerar Bitcoin

Com certeza, você já deve ter ouvido falar sobre o Bitcoin e os benefícios de fazer investimentos nas criptomoedas. Apesar de ser um assunto que está sempre em evidência, nem todas as pessoas sabem como funcionam suas transações e a mineração de Bitcoin.

 

Por esse motivo, nós vamos explicar para você qual é o processo para adquirir novas criptomoedas e como pode ser fácil aprender mais informações sobre esse universo e, quem sabe, se tornar um novo investidor.

O que é a mineração de Bitcoin?

Antes de entender como funciona a mineração de Bitcoin, é necessário saber que o BTC possui um protocolo, no qual é descrito que devem haver 21 milhões de bitcoins no mundo. Após os 10 anos de história dele, hoje, estima-se que existam 17 milhões. Ou seja, a corrida pelos outros 4 milhões não para!

 

Todo o processo é muito disputado, já que a recompensa para cada novo BTC encontrado é extremamente atraente aos investidores. Cada minerador recebe 12,5 bitcoins, uma quantia avaliada em mais de R$ 300 mil. No entanto, para realizá-lo alguns pontos são necessários.

Como minerar Bitcoin?

Podemos resumir a mineração de BTC à resolução de cálculos matemáticos avançados, que exigem super máquinas e excelentes processadores. Como toda transação de Bitcoin é feita virtualmente e é registrada na Blockchain —  livro-razão dos bitcoins — é necessário entender um pouco de criptografia e ingressar em uma pool de mineração.

 

As pools —  ou piscinas, como também são conhecidas —  são conjuntos de máquinas em rede, que resolvem os cálculos e dividem a recompensa entre todos os envolvidos. Também é possível minerar Bitcoins em casa, no entanto, o investimento será um pouco mais caro, já que você precisará de um hardware potente e uma rede rápida.

1- Escolha o Hardware

Existem diversos tipos de hardwares específicos para a mineração de Bitcoin. No entanto, esses aparelhos podem atingir um valor superior à R$ 10 mil. Esses equipamentos geralmente possuem a potência e a taxa de hash perfeita para o processo e, mesmo sendo considerados caros, trarão um bom retorno para você.

 

Você também pode montar o seu próprio equipamento, porém, especialistas informam que as características geralmente são inferiores do que os que são fabricados propriamente para isso. Também é muito importante se atentar ao tipo de criptomoeda que o seu hardware poderá minerar, pois alguns são exclusivos para o BTC.

2- Escolha a carteira de BTC

As carteiras de Bitcoin são os locais em que você irá guardar suas criptomoedas e armazenar seus lucros. Com uma boa carteira, você conseguirá realizar transações como compra, venda e pagamentos de contas a qualquer momento e ainda poderá acessá-la de qualquer dispositivo.

 

Apesar de todas as transações na blockchain serem protegidas, é importante que você nunca divulgue ou compartilhe seus dados e informações pessoais. Deste modo, você garantirá  a segurança e a privacidade dos seus investimentos  e das suas criptomoedas.

3 – Escolha a pool de mineração

Feitos os dois primeiros passos, você já poderá escolher a sua pool de mineração. Ao lado de máquinas próprias para a mineração ficará muito mais fácil realizar o processo e garantir que seu investimento tenha um retorno mais rápido.

 

E não se esqueça: os lucros da mineração são divididos entre todos os membros da pool. E caso você ainda tenha dúvidas sobre como concluir o processo, por lá, outras pessoas poderão ajudar você com isso.

4 – Escolha o software

Por fim, é só você escolher o software que irá realizar a mineração. Existem diversos sistemas, com interfaces e funcionalidades diferentes. Procure por um que disponibilize as informações de forma clara e possibilite ajustes básicos. Dessa forma, processo se tornará muito mais fácil para você!

Outras dicas para a mineração de Bitcoin

É sempre válido lembrar: como estamos falando de equipamentos eletrônicos que não param, escolha um local arejado para evitar o superaquecimento e, por consequência, garantir um bom desempenho da máquina!

 

Também é recomendado entender um pouco mais sobre o câmbio entre criptomoedas, para saber se também é vantajoso começar por outras e trocá-las para o BTC. Assim, você aprende um pouco mais sobre o universo e evita prejuízos.

 

Curtiu? Então, é só se programar e se tornar um novo investidor.

Comentários

Leia também...