24Horas Política

Uruguai é o segundo país a aprovar casamento gay na América do Sul

Lei ainda precisa ser sancionada pelo presidente José Mujica, que se pronunciou a favor da medida. Câmara aprovou decisão por 71 votos a favor e 21 contra

Por 71 votos a favor e 21 contra, a Câmara dos Deputados do Uruguai aprovou nessa quarta-feira (10) o chamado “matrimônio igualitário” no país, equiparando o casamento entre homossexuais e heterossexuais. O texto ainda precisa ser sancionado pelo presidente José Mujica, que se pronunciou a favor da medida. A nova lei determina que “o matrimônio civil é a união permanente de duas pessoas de sexos diferentes ou iguais”.

 

AP

Cidadãos comemoram legalização do casamento gay no Uruguai

 

A lei uruguaia aprovada estabelece mudanças no Código Civil, como o fim da obrigatoriedade de que o sobrenome paterno anteceda o materno no registro dos nomes dos filhos de um casal. Tanto no caso de uniões heterossexuais quanto homossexuais, a nova lei determina que a ordem do sobrenome dos filhos obedece somente à vontade de seus pais.

Pela lei aprovada, ficam equiparados ainda deveres e direitos quanto a situações como o divórcio, pagamento de pensão alimentícia, a filiação e separação de bens. Na semana passada, o projeto passou pelo Senado – 23 votos a favor e oito contra. Apesar de já ter sido votado favoravelmente pela Câmara no ano passado – por 81 votos a favor e seis contra -, o texto teve de voltar aos deputados por causa de modificações feitas pelos senadores.

“Com essa lei, o que se reconhece é o olhar de uma sociedade heterogênea, onde não se determina quais corpos são os corretos, onde não há uma leitura homogeneizante”, disse a advogada Michelle Suárez, redatora da lei e integrante do grupo Ovelhas Negras, organização de defesa dos direitos da comunidade de lésbicas,gays, bissexuais e transexuais.

O Uruguai é o segundo país na América do Sul a permitir legalmente o casamento entre pessoas do mesmo sexo. A Argentina foi a primeira da região a aprovar lei semelhante, em 2010. Na América Latina, a Cidade do México autorizou o casamento entre pessoas do mesmo sexo em 2009. No Brasil, o Supremo Tribunal Federal reconheceu em 2011 a união estável entre casais homossexuais.

No caso do Brasil por exemplo, no estado de São Paulo, desde março os cartórios deixaram de exigir autorização judicial para oficializar uniões civis homossexuais. Estados como a Bahia, Alagoas, o Paraná, Mato Grosso do Sul, o Piauí, Sergipe e o Ceará têm normas similares.

Fonte: IG

Comentários

Notícias Relacionadas

Em reunião na Câmara, comerciantes do centro pedem... Comerciantes da área central e o diretor da Acisb (Associação Comercial e Industrial de Santa Bárbara d’Oeste), Antônio Roberto Bonamin, estiveram hoj...
Mensalão: Dirceu e Genoino podem passar outra noit... Advogados dos dois condenados pediram ao STF que seja cumprido o regime semiaberto a que ambos têm direito. Dirceu e Genoino devem ser transferidos pa...
APAE realiza passeata para lembrar o dia do Autism... A Apae (Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais) de Santa Bárbara d'Oeste realiza, nesta quarta-feira (3), uma passeata para lembrar o Dia Mundi...
Portuguesa faz quatro, vence Corinthians e ultrapa... Em Campo Grande (MS), Portuguesa e Corinthians se enfrentaram neste domingo (29) pelo Brasileirão 2013 e o time do Canindé venceu de goleada pelo plac...
Redação
Criado e desenvolvido por Dennis Moraes, o site SB24horas surgiu em 08 de janeiro de 2013. Após um tempo na cobertura de eventos, criou o portal com o objetivo de levar a informação regional ao mundo, através da web. Atualmente o portal ultrapassou a marca de 350 mil visualizações mensais. Nossa Visão Ser reconhecida pelo maior número de pessoas e se tornar referência entre os meios de comunicação da Região Metropolitana de Campinas, com o pioneirismo da TVWeb. Nossos Valores Compromisso com a verdade; Apuração dos fatos; Compromisso com a qualidade; Transparência, integridade e idoneidade; Comportamento ético; Responsabilidade com o público;
http://sb24horas.com.br