Secretaria de Meio Ambiente de Americana apresenta diagnóstico das ocorrências de queimadas na cidade

A Secretaria de Meio Ambiente apresentou na última segunda-feira (17/7), durante reunião realizada com representantes da prefeitura no auditório Villa Americana, no Paço Municipal, um diagnóstico sobre a incidência de queimadas na cidade, apontando 94 focos de queimadas registrados de janeiro a maio deste ano. Uma ação de Educação Ambiental será planejada para intensificar a prevenção, conscientização e fiscalização na cidade.

 

Para o secretário de Meio Ambiente, Odair Dias, as ações realizadas em conjunto ajudam a proteger o meio ambiente da degradação, promovendo a qualidade de vida da população. “Precisamos fazer o maior número possível de medidas protetivas ao meio ambiente e, paralelamente, conscientizar a população da importância do trabalho integrado para evitar danos ao meio ambiente e à saúde das pessoas”.

 

Um relatório foi elaborado a partir de um mapeamento das ocorrências de queimadas dos exercícios de 2016 e 2017, identificando as áreas com  incidência de queimadas por área de Planejamento. O mapa foi elaborado pela Secretaria de Planejamento a partir dos dados do INPE – Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais e das ocorrências de queimadas lavradas em boletim de ocorrência pelo Grupo de Proteção Ambiental – GPA.

 

No período de janeiro a 31 de maio de 2017, foi observado que o satélite do INPE registrou sete ocorrências de queimadas no município e o GPA registrou 94 focos no mesmo período. Em 2016, foram 53 registros pelo INPE e 244 pelo GPA.

 

A diferença entre os dados do satélite do INPE e as ocorrências relatadas pelo GPA ocorre em função da captação das imagens do satélite, que não detecta queimadas nas condições de frentes de fogo com menos de 30 metros de distância, quando o fogo ocorre apenas no chão de uma floresta densa, sem afetar a copa das árvores, quando há nuvens cobrindo a região e se a queimada for de pequena duração.

 

Por meio do mapeamento, é possível levantar as áreas da cidade que apresentaram um número mais alto de ocorrências de queimadas. “A intenção é diminuir a incidência de ocorrências na cidade realizando uma força-tarefa para a divulgação dos malefícios que as queimadas causam à saúde e ao meio ambiente, destacando o crime ambiental, multas e a falta de conscientização daqueles que a praticam”, informou Kátia Birke, representante da Unidade de Educação Ambiental e Planejamento e interlocutora do Programa Município VerdeAzul.

 

As áreas que compõem os bairros da região da Gruta Dainese, que teve 22 casos registrados de queimadas este ano, e do São Luis, com 12 ocorrências, apresentaram mais focos de queimadas. O trabalho de Educação Ambiental e uma força-tarefa de limpeza e de fiscalizações deverão ter início nestas regiões, se estendendo, posteriormente, para toda a cidade.

 

As Secretarias envolvidas no trabalho são Meio Ambiente, Obras e Serviços Urbanos, Educação, Planejamento, Saúde, Governo, além da Guarda Municipal – Grupo de Proteção Ambiental (GPA) e Defesa Civil. Numa ação integrada, as pastas deverão discutir quais ações poderão ser intensificadas nas escolas, comércios, igrejas, abrangendo toda a população.

 

Unidade de Imprensa

Comentários
Posted Under