Projeto Jardins da Cidade é aprovado pela Prefeitura de São Paulo

Iniciativa tem como objetivo levar lazer e educação a cerca de 14 mil crianças da capital paulista
A Prefeitura de São Paulo acaba de aprovar o projeto Jardins da Cidade, desenvolvido pela Incubadora de Negócios ESPM e pela empresa Jardins da Infância, com a meta de mapear espaços públicos em São Paulo para a implantação de áreas de lazer com foco em leitura para crianças de 3 a 12 anos. A Riachuelo, do grupo Guararapes, é patrocinadora oficial da iniciativa.

O programa consiste na revitalização de cerca de 32 praças públicas (uma em cada Prefeitura Regional) com a implantação de áreas de lazer, biblioteca, anfiteatro, almoxarifado e sanitários, para que esses espaços possam receber oficinas de leitura, música, história, entre outras atividades voltadas ao ensino da leitura.

Todos os espaços contarão com uma coordenação pedagógica, que será responsável por treinar e capacitar representantes das comunidades para gerir essas áreas.

O primeiro passo será a implantação de um piloto em Paraisópolis, bairro com alta taxa de mulheres mães e chefes de família. As obras serão iniciadas no segundo semestre deste ano, com inauguração prevista para 2018.

“Elas saem da comunidade para trabalhar por volta das 4h e deixam seus filhos em casa, sem um espaço de cultura e lazer no contra turno das escolas. A praça será uma opção de qualidade para as crianças brincarem”, explica Adriana Lobo, ex-aluna da ESPM e idealizadora do projeto.

A Primeira Dama Bia Dória e a AME Jardins acompanharam todo o processo de desenvolvimento do programa e abriram portas para que a iniciativa tivesse apoio do poder público.

Sobre a ESPM

Fundada em 1951 com o nome Escola de Propaganda do MASP e sob o slogan ‘Ensina quem faz’, a ESPM tinha como filosofia, mantida até hoje, reunir profissionais do mercado para ministrar seu curso, associando a prática com a teoria. Em pouco tempo já era reconhecida como uma das principais instituições de ensino do País.

A partir de 1974, deu início à sua expansão, inaugurando a ESPM Rio, no Rio de Janeiro. Em 1978 viriam os cursos de pós-graduação e, em 1985, inaugurou a ESPM Sul, em Porto Alegre. Considerada um centro de excelência no ensino de Comunicação, Marketing e Gestão, a oferta de novos cursos de graduação era o caminho natural a ser seguido. E desta forma, a ESPM ampliou seu portfólio: Administração (1991); Design (2004); Relações Internacionais (2006); Jornalismo (2011); TECH (2014); Cinema e Audiovisual (2015); e Ciências Sociais e do Consumo (2015). O início do século XXI também ficou marcado pela introdução dos programas de mestrado e doutorado.

Comentários