POR QUE OS DENTES ENTORTAM DEPOIS DE USAR APARELHO?

Especialista e diretor técnico da CA – Clear Aligner, Rolf Marçon Faltin, explica que o tempo de permanência do aparelho de contenção está relacionado com vários fatores como, a idade do paciente, o grau de severidade de cada caso, o tipo de má-oclusão existente no início do tratamento e o resultado obtido durante o processo

É natural que, ao terminar um tratamento ortodôntico, seja com aparelhos fixos metálicos (braquetes), removíveis ou com alinhadores, o paciente questionará se terá que usar um aparelho de contenção. E a resposta, segundo Rolf Marçon Faltin, diretor-técnico da CA–Clear Aligner do Brasil, é sim. “A contenção ortodôntica tem como objetivo fixar e estabilizar os dentes movimentados e ajuda a evitar a recidiva ortodôntica, que é o retorno parcial à antiga posição dos dentes. Ou seja, só após a fase de contenção é que o tratamento ortodôntico estará verdadeiramente consolidado e finalizado” explica Faltin, especialista em ortodontia e ortopedia facial. Sendo assim, essa é uma fase tão importante quanto a fase ativa que movimenta os dentes para atingir os resultados esperados e que requer, essencialmente, a colaboração do paciente.

Por que os dentes voltam a entortar depois do aparelho ortodôntico?

“Os tecidos e as fibras colágenas elásticas que sustentam os dentes determinam um certo efeito ’memória’ de posicionamento. Geralmente, associa-se a isto uma outra causa que é o uso incorreto, não contínuo ou ainda a não utilização de aparelhos de contenção”, explica Faltin. O osso que reveste as raízes dos dentes, os tecidos moles e a musculatura do rosto, principalmente a da língua, lábios e bochecha, precisam de um tempo para se readaptar e entrar em equilíbrio com a nova mordida e posicionamento dentário. As primeiras semanas são as mais preocupantes e, portanto, as contenções precisam ser instaladas imediatamente após a remoção dos aparelhos ortodônticos.
“A contenção é parte fundamental dos tratamentos ortodônticos. Nem mesmo tratamentos mais longos com o objetivo de garantir a estabilidade do tratamento”, afirma o especialista. Ou seja, nem adianta o paciente achar que pode optar por alternativas para garantir o sucesso da sua mordida, o uso da contenção é indispensável.

Por quanto tempo usar a contenção?
Dr. Rolf Faltin explica que o tempo de permanência da contenção ortodôntica está relacionado à idade, biologia e respostas individuais do paciente, somados ao grau de severidade do caso, o tipo de má-oclusão existente no início do tratamento e o resultado obtido durante o processo.
Um protocolo bastante aplicado e considerado como mínimo básico em termos de uso e frequência das contenções para pacientes tratados ortodônticamente. Isto é, que tiveram movimentação de um ou mais dentes, sugere seis meses de uso integral, seguido de seis meses de uso noturno das contenções. É como a fase do “gesso”/fixação/tipoias/tala” após as fraturas ou cirurgias ortopédicas.
Sendo assim, o ideal é que o ortodontista defina, junto com o paciente, o tempo correto de utilização até que os dentes estejam totalmente consolidados no osso, evitando dessa forma a chamada recidiva. “Além disso, é preciso definir a melhor escolha de contenção de acordo com as especificidades de cada caso e as vantagens para cada paciente”, explica Faltin.

Tipos de contenção
Existem diversos tipos de contenção e o desenvolvimento tecnológico dos últimos anos na ortodontia trouxe mais conforto e opções para a escolha do paciente. Afinal, esse é um tratamento que exige colaboração do paciente para o sucesso. “Ninguém quer usar aparelho por certo período e ver o resultado final ir por água a baixo após o tratamento”, diz Faltin. É por isso, segundo ele, que a escolha da contenção e respectiva conscientização é tão importante quanto o tratamento. Ela deve ser confortável, não esconder o sorriso e, ainda, não atrapalhar a fala do paciente. Com estas características torna-se mais fácil exigir a colaboração e uso por parte dos pacientes para esta fase tão importante do tratamento.
Hoje, novos materiais e tecnologias de fabricação foram especificamente desenvolvidos para as contenções, resultando no produto chamado CA–Retention. São contenções transparentes e possuem opções de espessuras, de acordo com a necessidade do paciente. Além disso, o aparelho não compromete a fala porque seu material é plenamente adaptado aos dentes, mais leve e resistente. “As novas contenções, assim como os alinhadores transparentes, se posicionam de forma a atender uma nova demanda gerada pelo consumidor que é a questão estética e conforto, agregando um valor percebido ao uso do produto, resultando em um comportamento de uso no qual o paciente é um colaborador ativo do tratamento”, afirma Luiz Carpegiani, diretor-executivo da CA-Clear Aligner.

 

Assessoria de imprensa

Comentários