Polícia: Acusadas de roubar bebê em Shopping de Santa Bárbara, começam ser julgadas em Abril

A Justiça de Santa Bárbara d’Oeste designou para o dia 3 de abril a primeira audiência de instrução de julgamento do processo em que três mulheres respondem pelo sequestro do bebê Gabriel Henrique Quirino, em agosto do ano passado, dentro de um shopping. Na reunião, a juíza Miriana Maria Melhado Maciel, da Vara Criminal do município, ouvirá as testemunhas indicadas por acusação e defesa. Se todo o trâmite for cumprido em apenas uma audiência, o caso vai para alegações finais e, depois, para sentença.

Além do processo penal pelo sequestro de Gabriel, Ângela, Aparecida e Elisabete ainda são investigadas pela Polícia Civil por conta de uma lista apreendida na casa delas com os nomes de outras mães adolescentes. A suspeita é de que elas poderiam realizar outros sequestros em Santa Bárbara.

RELEMBRANDO O CASO

Ângela Nicoliche, Aparecida Marta Nicolete e Elisabete Nicolete foram denunciadas por cárcere privado após serem presas em flagrante com a criança após quase dois dias de um suposto rapto. Na época, o menino tinha apenas 23 dias.

A primeira é acusada ainda de uso de identidade falsa porque, segundo a investigação, usou uma peruca e se passou por representante de uma ONG (Organização Não-Governamental) que auxilia mães adolescentes para se aproximar de Milla Yara Quirino, de 15 anos, mãe do garoto.

A defesa alega que a jovem doou a criança “voluntariamente” e ainda pede, por meio de um habeas corpus no Tribunal de Justiça do Estado, a descaracterização do crime para o delito de subtração de incapaz, que tem pena máxima de dois anos de detenção. Por cárcere privado praticado contra um menor de idade, as três podem pegar até cinco anos de prisão.

Do: O liberal
Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Santa Bárbara d’ Oeste 23 de Janeiro de 2014

Comentários