Pesquisa do Procon-SP revela queda de 0,17% na cesta básica de janeiro

Pesquisa da Fundação Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo, constatou que, em janeiro, o valor da cesta básica paulistana teve queda de 0,17%. O levantamento, feito em convênio com o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), revela que o preço médio que, em 30/12/15, era de R$ 646,18, passou para R$ 645,10 em 29/1/16.
Por grupo, foram constatadas as seguintes variações: alimentação, -0,27%; limpeza, 1,11%; e higiene pessoal, -0,02%. A variação no ano é de -0,17% (base 30/12/2015).
A Pesquisa Cesta Básica Procon/Dieese é efetuada desde de 1990, a partir do perfil de uma família paulistana traçado com base na Pesquisa de Orçamento Familiar de São Paulo (POF/IBGE) e das Pesquisas de Consumo Alimentar no Município de São Paulo (DIEESE), o que resultou na definição de 31 produtos: 22 de alimentação, 4 de limpeza doméstica e 5 de higiene pessoal. Entretanto, com a mudança do perfil da família ao longo desses anos, sentiu-se a necessidade de atualizar o nosso levantamento tomando-se como referência a Pesquisa de Orçamento Familiar de São Paulo (POF/IBGE) 2008/2009, o que acarretou no acréscimo de oito novos produtos. Dessa forma, a Cesta Básica Procon/Dieese a partir de 2016 contempla 39 produtos (28 de alimentação, seis de limpeza doméstica e cinco de higiene pessoal).
No período de 5 a 29/1/16, os produtos que mais subiram foram:
Margarina (250g)
12,24%
Amaciante (2 litros)
10,78%
Cebola (kg)
7,76%
Alho (kg)
5,49%
Linguiça fresca (kg)
5,30%
As maiores quedas foram:
Salsicha avulsa (kg)
-6,09%
Batata (kg)
-5,18%
Extrato de tomate (embalagem 340-350g)
-4,81%
Frango resfriado inteiro (kg)
-4,62%
Biscoito recheado (pacote 130/150g)
-4,62%
Dos 39 produtos pesquisados na variação mensal, 25 apresentaram alta, 13 diminuíram de preço e um permaneceu estável.
Veja aqui a pesquisa na íntegra.
Fundação Procon-SP
Comentários