O poder do toque na Microfisioterapia

O toque sutil, chamado de micropalpação, é utilizado na Microfisioterapia tanto para encontrar memórias traumáticas e sintomas, quanto para fornecer as informações necessárias para que o próprio corpo inicie o processo de cura. Saiba como.

 

Não podemos subestimar o poder do toque na Microfisioterapia. É por meio da técnica sutil da micropalpação que o fisioterapeuta encontra os tecidos que foram impactados por memórias, e é também por ela que o profissional consegue fornecer as informações necessárias para que o próprio corpo inicie o processo de cura. “Há muito já se sabe que o corpo registra memórias não apenas no cérebro, mas em praticamente todos os tecidos”, explica Fresia As, fisioterapeuta especializada em Microfisioterapia da Biointegral Saúde, em São Paulo. Sérgio Bastos Jr, sócio de Fresia e também especialista em Microfisioterapia, explica: “é por meio da micropalpação que o profissional consegue entender onde estão essas memórias gravadas e o tipo de sintoma que vem com ela”.

Mas, e como essas memórias acabam gravadas no corpo? Fresia revela: “recebemos, a cada instante, milhares de informações, que são registradas pelo cérebro e pelo corpo. Geralmente, aquelas que causam um forte impacto em nosso inconsciente ou são muito difíceis de lidar acabam gravadas nos tecidos do corpo”. Sim, nossas células têm memória! E, pode ser que algumas delas nunca sejam identificadas ou cheguem a incomodar verdadeiramente, mas outras acabam sendo agentes de dores e doenças que não conseguimos explicar ou para os quais não encontramos cura na medicina tradicional.

Sérgio enfatiza: “o corpo, a exemplo das vacinas, só consegue se curar quando cria “anticorpos” para o agente que ocasionou determinado mal-estar. A memória está li, registrada, mas de tempos em tempos alguma situação com informação semelhante à que causou a memória pode acionar os registros, trazendo alergias inexplicáveis, dores sem causa aparente, doenças emocionais, entre outras”. O especialista explica que a micropalpação realizada com o fim de acionar aquelas memórias também ativa os antígenos, ou seja, avisa o corpo de que ele pode expulsar aquele agente de dor e mal-estar, aquela memória dolorida ou traumática: “é assim que a Microfisioterapia usa a inteligência do próprio corpo para curar”.

 

Mais informações:

Biointegral Saúde | www.biointegralsaude.com.br |

 

Comentários