Nova Odessa faz cadastro para castração de cães e gatos

A Prefeitura de Nova Odessa está com inscrições abertas para as famílias interessadas em integrar o Programa de Castração Animal. Promovido pela Secretaria de Saúde, por meio da Diretoria de Vigilância em Saúde e o setor de Zoonoses, a castração é o método mais eficaz no controle populacional de animais.

 

Segundo a responsável pelo setor de Zoonoses, a veterinária Paula Faciulli, uma clínica foi contratada, através de licitação, para realização dos procedimentos. “Além da demanda que tínhamos, será possível atender novos cadastros”, explicou.

 

Paula afirmou que cerca de 240 castrações que já estavam agendadas estão sendo realizadas. “À medida que recebermos novas inscrições, vamos inserir no cronograma para a realização dos procedimentos”, disse.

 

De acordo com a veterinária, através do procedimento é possível reduzir o risco de tumores de mama, próstata, além de aumentar a expectativa de vida dos animais, que contam com menor chance de doenças reprodutivas. Poderão ser castrados animais a partir dos 7 meses.

 

Para a inscrição é necessário apresentar RG, CPF, comprovante de endereço e também de renda. Após o cadastro, o setor de Zoonoses entrará em contato com os inscritos para agendar a data, horário e local dos procedimentos de castração.

 

O setor de Zoonoses fica localizado na Rua Rafaela Manzi Piconi, 122, Parque Residencial Klavin. O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h. Telefone (19) 3466-3972.

 

CASTRAÇÃO – O procedimento da castração consiste em uma cirurgia com anestesia geral. Nas fêmeas, são retirados o útero, trompas e ovários. Nos machos, se extrai os testículos. Após o procedimento, os animais não precisam ficar internados. E, em torno de uma semana, estão totalmente recuperados. Utilizando o efeito da anestesia, os gatos e cachorros recebem a implantação de microchips para identificação eletrônica. Isto permite o controle das vacinas aplicadas e, também, a identificação de cada animal caso ele se perca.

 

Comentários