Notificações de dengue caem 90% em Nova Odessa

Administração tem realizado série de ações de combate ao mosquito Aedes aegypti

 

Nova Odessa registrou uma queda de 90% nas notificações de casos de dengue neste ano em comparação com o mesmo período do ano passado e segue sem nenhum caso confirmado da doença neste início de 2017. A Secretaria de Saúde segue realizando ações de conscientização e combate ao Aedes aegypti, transmissor da dengue e também do zika vírus e chikungunya.

 

De acordo com a Vigilância Epidemiológica, este ano foram registradas 24 notificações da doença. Até o momento 21 casos foram negativados, sendo aguardado resultados de três exames. No mesmo período do ano passado, a cidade contabilizava 230 notificações e 40 casos positivos.

 

Secretário de Saúde, Vanderlei Cocato comemora os resultados, mas ressalta que é preciso seguir com as ações de conscientização. “Nossa rede pública está preparada para atender os pacientes, mas ficamos felizes em dizer que não tivemos casos da doença neste ano. Acredito que este resultado é fruto das ações realizadas nos últimos anos e que certamente continuarão”, afirmou.

 

Temos realizado mutirões e ações de orientação, mas o combate a esta doença está diretamente ligado à população, que colabora conosco ao manter sua casa e locais de trabalho limpos, evitando a proliferação do Aedes aegypti”, disse.

 

Em fevereiro, Nova Odessa participou do 2º Mutirão Regional de Combate a Dengue, ocasião em que foi recolhida uma caçamba com materiais que poderiam servir de criadouro do mosquito. O evento teve ainda caminhada de conscientização e uma equipe realizou, com apoio da Defesa Civil de Nova Odessa, limpeza das calhas das escolas, UBSs (Unidades Básicas de Saúde) e pontos de ônibus.

 

Além disso, a cidade realiza todos os meses em parceria com o Governo do Estado mutirões para orientação dos moradores. “Este é um assunto que não podemos descuidar e as ações terão continuidade”, afirmou o secretário.

 

Nova Odessa conta também com o projeto pioneiro “Dengue, nem vem que não tem”, em que uma Kombi adaptada é utilizada como laboratório itinerante nas escolas da rede pública de educação municipal, além de escolas estaduais e particulares, entidades e empresas.

 

Comentários
Posted Under