Nascimento de gêmeos em São Paulo é maior em bairros mais ricos

Detalhes desta e de outras pesquisas serão apresentados em julho no segundo “Encontro de Gêmeos da USP”

Vila Mariana, Lapa e Pinheiros são bairros campeões em nascimentos de crianças gêmeas no município de São Paulo. Uma das hipóteses levantadas para isso é o maior poder aquisitivo das pessoas que moram nessas regiões, o que lhes possibilita mais acesso a métodos de fertilização artificial que induzem à gravidez múltipla. O resultado faz parte de pesquisas do Instituto de Psicologia (IP) da USP com o intuito de traçar um mapeamento de nascimentos de gêmeos univitelinos e dizigóticos na cidade de São Paulo. Estas conclusões serão apresentadas no segundo Encontro de Gêmeos da USP, que acontecerá no Centro de Práticas Esportivas (Cepeusp) da USP, na Cidade Universitária, no dia 28 de julho, e no Instituto de Psicologia (IP) da USP, no dia 31 de julho.

O evento também contará com a participação de pesquisadores de outras universidades brasileiras e estrangeiras, com destaque para Nancy Segal, diretora do Twin Studies Center, da California State University, Fullerton.


Nas primeiras análises da pesquisa realizadas pelo bolsista Jonas Arantes, sob orientação da professora Emma Otta, do IP, já foi possível apurar que a renda familiar influencia de forma significativa a taxa de natalidade e que existe diferença entre nascimentos de gêmeos em hospitais públicos e privados. Os partos múltiplos ou de gêmeos acontecem com maior frequência em hospitais particulares, revela Emma. “O fato também pode estar relacionado à postergação da gravidez das mulheres, que hoje priorizam a carreira em detrimento do desejo de ter filhos.” 
Entre 2003 e 2015, nos bairros da Lapa e Pinheiros, foi registrado o maior número de nascimentos de gêmeos no município de São Paulo: cerca de 1.714 crianças nascidas de mães cuja renda familiar era de 7,6 salários mínimos (média ponderada). Já Guaianases, um dos bairros periféricos do extremo leste de São Paulo, ficou em último lugar, com 602 crianças gêmeas nascidas de mães com renda familiar de 1,8 salário mínimo. Na Vila Mariana e no Jabaquara nasceram 1.467 gêmeos para 6,5 salários mínimos; Butantã, 1.174 para 4,7 salários mínimos; Ipiranga, 1.006, para 3,7 salários mínimos; e Itaim Paulista, 769 para 1,9 salário mínimo. Quanto à renda familiar, foi considerada a do ano de 2010, a última disponibilizada pelo site da Prefeitura paulistana.

Segundo Tânia Kehl Lucci, do Programa de Concessão de Pessoal Técnico de Nível Superior (Procontes), do IP, a pesquisa com gêmeos cruzou dados dos sites de duas instituições públicas: da Secretaria Municipal da Saúde, da Prefeitura do Município de São Paulo, que disponibilizou dados sobre distribuição de renda dos moradores por subprefeituras, e do Sistema de Informação sobre Nascidos Vivos (Sinasc), do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (Datasus), que forneceu, entre outras informações, dados sobre nascimentos de gêmeos na cidade de São Paulo.

Braço clínico da pesquisa sobre gêmeos

No campus da Cidade Universitária, no Butantã, o Instituto de Psicologia mantém um braço clínico da pesquisa. Além de oferecer atendimento terapêutico para tratar as inquietações que afligem os gêmeos, a proposta do trabalho é coletar dados para pesquisa para entendimento das especificidades que compõem a subjetividade humana (emoções, sentimentos e pensamentos) dos gêmeos.

Segundo a coordenadora do atendimento, a professora Maria Lívia Moretto, do Departamento de Psicologia Clínica do IP, a subjetividade engloba todas as particularidades inerentes à condição do ser como sujeito. Ou seja, os valores, as crenças , as vivências, as experiências de vida social e cultural de cada pessoa. Além dos pais, irmãos e pessoas próximas influenciam na construção da subjetividade. No caso dos gêmeos, há hipóteses mostrando que o irmão gêmeo tem papel central na formação desta identidade. O grupo é aberto à participação de gêmeos e pais de gêmeos. Novos pacientes podem se inscrever pelo e-mail paineluspgemeos@usp.br.

Encontro de Gêmeos

Nos dias 28 e 31 de julho, as professoras Emma e Maria Lívia estarão juntas com outros pesquisadores partilhando resultados sociodemográficos de gêmeos, incluindo dados de nascidos na América Latina e de outras regiões do mundo. Além da apresentação científica dos trabalhos, o evento ainda contará com shows, uma exposição de um painel fotográfico e outras interações recreativas.

Confira a programação do segundo Encontro de Gêmeos na página do evento no Facebook. As inscrições podem ser feitas neste link.

Mais informações: e-mail paineluspgemeos@usp.br

Comentários