Ministério Público abre inquérito e investiga situação das ambulâncias de Americana

Após levantamento do vereador Welington Rezende, Comissão de Saúde fez a denúncia

 

O Ministério Público Estadual instaurou inquérito civil público para investigar a Prefeitura de Americana pela situação das ambulâncias no município. Em fevereiro, o vereador Welington Rezende (PRP) fez um levantamento apontando a precariedade das ambulâncias municipais e levou o caso à Comissão de Saúde da Câmara, que fez denúncia à Promotoria.

Em resposta a requerimento do parlamentar, o superintendente da Fusame (Fundação de Saúde de Americana), Humberto Mizael Ribon, informou que, de janeiro a junho deste ano, foram gastos R$ 138,2 mil com aluguel de ambulâncias, em 75 atendimentos.

O inquérito foi aberto pelo promotor Clóvis Cardoso Siqueira, que solicita esclarecimentos da Prefeitura.

“Fiz esse levantamento, entreguei à Comissão de Saúde da Câmara para providências e a denúncia foi feita ao Ministério Público. O município pagou R$ 138,2 mil em seis meses para aluguel de ambulâncias sendo que há várias quebradas na Garagem Municipal. Todas que estão lá são do próprio município, inclusive a UTI Móvel quebrada. É preciso responsabilidade com o dinheiro público”, declarou Rezende.

À época, Rezende constatou na Garagem Municipal sete veículos quebrados e o 192 de Americana operando com uma ambulância – para adicionar mais um veículo à emergência, Rezende conseguiu, em julho, parceria com a iniciativa privada para conserto de uma ambulância.

O vereador encontrou, em fevereiro, cinco ambulâncias e dois veículos para o transporte de pacientes parados por falta de peças e manutenção há pelo menos seis meses.  Os veículos em péssimo estado de conservação, com tranca da porta de correr quebrada, faróis quebrados, lataria avariada, grade frontal amarrada com arames, falta de bateria, falta de rodas, pneus e filtro de ar, ausência de discos de freio, documentação vencida, vazamento no tanque de combustível, borracha de pedais danificada, amortecedor e suspensão avariadas, falta de estepe, parte elétrica do baú com aquecimento e falta de sistema de radiocomunicação.

Comentários