Jogador profissional conhece o vôlei adaptado do Clube da Melhor Idade em Nova Odessa

Levantador Rodriguinho, do Brasil Kirin (Campinas), tem o pai participando de equipe

 

Jogador profissional da equipe Vôlei Brasil Kirin, de Campinas, o levantador Rodrigo de Gennaro Leme, o Rodriguinho, esteve na última quarta-feira (17) conhecendo de perto o trabalho da modalidade adaptada desenvolvida no Clube da Melhor Idade de Nova Odessa. O pai, Luiz Antônio Leme, frequenta as atividades do local e participa da  equipe novaodessense do vôlei adaptado.

Rodriguinho tem o voleibol extremamente presente em sua vida, desde muito cedo. Além de ser filho do ex-voleibolista e árbitro da modalidade, a mãe, Maricilda, foi treinadora. A irmã também jogou e um sobrinho está iniciando na carreira profissional. O gosto pelo vôlei veio ainda nos anos 90, quando muito jovem – por volta dos 10 anos de idade – iniciou na equipe da Secretaria de Esportes de Nova Odessa.

Em seguida, o então promissor atleta jogou pela equipe municipal de Americana. Depois veio a profissionalização e Rodriguinho passou por equipes como a extinta Olympikus, Suzano, por times do Sul do País, na Itália e, mais recentemente – antes do Brasil Kirin – esteve em Montes Claros/MG. Ele integrou categorias de base da seleção brasileira, mas no adulto não chegou a ter convocações oficiais.

“A minha geração teve uma concorrência muito forte de levantadores, como o Maurício e o Ricardinho, que são craques e fizeram história”, cita Rodrigo, que reside atualmente em Sumaré. Premiado na edição da Superliga Brasileira 2009/10 como melhor levantador, hoje ele está com 37 anos e planeja a hora de terminar a carreira. “Acredito que tenho mais umas três temporadas em alto nível ainda”, diz.

De férias da Superliga Masculina, Rodriguinho veio pela segunda vez ao Clube da Melhor Idade de Nova Odessa e conheceu mais de perto o vôlei adaptado, praticado por quem tem 60 anos ou mais de idade. “Meu pai joga faz quatro anos aqui”, detalha o levantador, que assistiu a um treino da equipe e participou da atividade por alguns minutos, para saber as diferenças das regras na modalidade.

O atleta reconhece a importância de espaços como o Clube da Melhor Idade na vida das pessoas, profissionais ou não no esporte. “Toda cidade deveria ter um Clube como esse”, destaca Rodriguinho. Segundo ele, o local proporciona atividades físicas e de lazer aos idosos. “É algo importantíssimo. Percebo o quanto faz bem aos meus pais, melhorando a qualidade de vida deles”, completa.

A equipe masculina de vôlei adaptado de Nova Odessa é tricampeã da Copa Amigos do Esporte na Melhor Idade. Além disso, contabiliza excelentes resultados em edições do JORI (Jogos Regionais dos Idosos), da Secretaria Estadual de Esportes. “É fruto do trabalho desenvolvido dentro do Clube, com o empenho desses atletas”, completa a coordenadora do Clube da Melhor Idade, Cristiane Mareschi Barbosa.

Comentários
Posted Under