Força-tarefa deve retirar mais de 50 caminhões de material da lagoa da Rua do Porto

Trabalho da Prefeitura, que engloba Sedema, Defesa Civil e Semae, teve início hoje

 

Quem fazia sua caminhada matinal hoje, no Parque da Rua do Porto, pôde acompanhar a movimentação de máquinas pela área. A Prefeitura, por meio de uma força-tarefa entre a Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente (Sedema), Defesa Civil e Semae, iniciou o trabalho de desassoreamento da lagoa, que deve ser concluído até sexta-feira, 11/08, quando mais de 50 caminhões de material devem ser retirados.

O assoreamento da lagoa do parque, um dos mais importantes da cidade, é causado pelo despejo de material arenoso, que é trazido pelas chuvas e se acumula ali. A preocupação da Prefeitura em manter o local sempre em ótimas condições exige que a limpeza seja feita constantemente. A última ocorreu em novembro de 2016.

Mas é importante que a população saiba que o processo de limpeza é trabalhoso. Somente para posicionar a escavadeira próximo ao ponto de retirada do material, foi preciso transportar e estabilizar no acesso à lagoa, dez caminhões de uma mistura de terra e cascalho.

Por meio dessa ponte, a escavadeira segue até o ponto principal e começa a fazer o “ tombo” do material arenoso, com seu deslocamento para próximo da margem. Dali, ele é carregado nos caminhões e descartado em um local adequado. “Na última limpeza, em novembro de 2016, retiramos aproximadamente 40 caminhões. Desta vez, devemos ultrapassar os 50 caminhões, já que estamos afundando o máximo possível”, informou Ludmar Romanini, engenheiro responsável pelo setor de Gerenciamento de Resíduos da Sedema.

Quando esses serviços forem concluídos, outra equipe entra em campo, para realizar o conserto do piso, que deve sofrer alguns danos pela circulação das máquinas, que chegam a pesar mais de 20 toneladas, e dos caminhões.