Exercitar-se no frio pode aumentar as chances de adquirir problemas cardíacos

Especialista alerta para os riscos da prática de atividades físicas nos dias mais frios e como se prevenir deles

 

Muitas pesquisas revelam que as baixas temperaturas aumentam a incidência de doenças, principalmente respiratórias e/ou infecciosas. Há também uma ampliação de até 30% de infartos nos dias mais gelados (dados da Sociedade Paulista de Cardiologia – Socesp).

 

De acordo com o Dr. Élcio Pires Júnior, coordenador da Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular e coordenador das Unidades de Terapia Intensiva do Hospital e Maternidade Sino Brasileiro, “quem se exercita no frio precisa se precaver porque, em baixas temperaturas, o organismo produz substâncias que provocam a contração dos vasos sanguíneos, o sangue não chega onde deveria e isso pode gerar problemas como acidente vascular cerebral (AVC) e infarto”.

 

Como o praticante transpira menos, o frio traz a (falsa) sensação de menor desgaste e de que o corpo responde melhor ao exercício, principalmente no início da atividade. No entanto, essa percepção representa um maior risco, por ocorrer uma maior sobrecarga tanto para os músculos, como para o coração, e o atleta nem perceber.

 

Isso porque o corpo humano possui temperatura de 36,5 graus e está apto a realizar exercícios físicos em temperatura até 20 graus. Abaixo disso, exige-se um preparo especial. Sem dizer que em marcas inferiores a 14 graus a atenção deve ser mais redobrada para amenizar os riscos à saúde.

 

Outro agravante é a mudança brusca de temperatura. A transição de um local aquecido para um ambiente mais frio, conhecida como choque térmico, pode desencadear alterações cardíacas. “Isso explica os altos índices de problemas cardíacos ao realizar exercícios físicos pela manhã, as pessoas saem de suas camas e de suas casas com o corpo quente para praticar atividades ao ar livre (gelado) ou em ambientes frios”, complementa o Dr. Élcio.

 

Para não deixar de fazer exercícios em dias mais frios e manter a saúde, siga as dicas abaixo:

  1. Faça alongamentos e aquecimentos (que pode ser uma caminhada de 15 a 20 minutos ao ar livre ou na esteira), antes da atividade.
  2. Proteja a cabeça, mãos e pés: vista calças e camisetas de manga longa e coladas na pele (leggingse segunda pele) – de preferência com tecido térmico e/ou tecnológico para maior conforto – e até uma jaqueta corta-vento. Gorro, luvas e até óculos também são recomendados para deixar menos espaço para a passagem de ar, protegendo melhor do frio.
  3. Se a atividade for na piscina, prefira roupas de borracha para natação que ajudam a manter a temperatura do corpo quente ao longo das práticas esportivas.
  4. Beba líquidos quentes (chá, café, chocolate quente e sopas) antes e depois dos treinos.
  5. Prefira a respiração nasal.

 

Sobre o especialista: Dr. Élcio Pires Júnior é coordenador da Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular e coordenador das Unidades de Terapia Intensiva do Hospital e Maternidade Sino Brasileiro. É membro especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular e membro internacional da The Society of Thoracic Surgeons dos EUA. Especialização em Cirurgia Cardiovascular pela Real e Benemérita Associação Portuguesa de Beneficência de São Paulo e Pós-Graduação em Cirurgia Endovascular e Angiorradiologia pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.

Fanpage: facebook.com/drelciopiresjr

LinkedIn: www.linkedin.com/in/elciopiresjunior

Comentários