Elenco grava falas da 20ª edição do Espetáculo Via Crucis neste fim de semana


A voz dos personagens é um dos elementos mais importantes para a compreensão do enredo do Espetáculo Via Crucis, que chega a sua 20ª edição e é realizado no Centro Social Urbano, local amplo e aberto. Por isso, a etapa de gravação das falas é bastante aguardada pelo elenco e muito trabalhada pela direção da peça, que precisa deixar os atores afiados para transmitirem emoção e intenção, em cada palavra. Neste ano, ela será realizada neste sábado (04) e domingo (05). Ao todo, 26 cenas serão interpretadas, em ordem cronológica, e 76 personagens ganharão vozes.
“O valor que damos à fala, ao áudio, é muito grande porque esse é o primeiro recurso que chega ao espectador. Então é preciso colocar intenção, entonações e isso é feito com marcação de cena e estudo para que cada palavra saia com clareza”, comentou o diretor artístico da encenação, Otávio Delaneza. Um dos exercícios escolhidos pela direção para deixar o elenco mais à vontade com o texto foram leituras dramáticas sem movimentação corporal, já que no estúdio não há espaço para a representação das cenas. “Para fazer com que o elenco se habituasse ao processo de gravação, nesta semana tivemos dois dias de ensaios só para trabalhar o texto, com os atores parados, mas imaginando toda a cena marcada durante os ensaios, para que o texto saia coerente, claro e com maior entendimento por parte do intérprete”, destacou o diretor.
Se algumas cenas exigem a participação de poucos atores, há aquelas que contam com o empenho de um número maior de personagens. Essas, segundo a coordenadora geral da montagem, Lays Ramires, são as mais trabalhosas. “Todas as cenas exigem preparo. Mas as mais difíceis são as de maior movimento e emoção dos atores, como o apedrejamento de Madalena e a Via Sacra. Tanto é que optamos por gravar as vozes e reações do elenco de apoio em arquivos separados para melhor resultado no áudio completo”, disse. Para aflorar toda a emoção, a principal dica do diretor é concentração. “Chegar ao estúdio com a energia canalizada é importante para que a cena saia forte, como será mostrada durante a peça”, comentou Delaneza.
E o trabalho não termina no domingo. Após a gravação, chega o momento de editar o material e inserir as trilhas e elementos sonoros, que darão ainda mais veracidade às cenas. Responsável por esse processo há 13 anos, o técnico de som da Rádio Santa Bárbara FM, Eraldo Vaz, conta que a grande novidade neste ano será a gravação de um coro de mulheres e do som de uma harpa, conduzida pelo ator Jayro da Silva.
“O processo é o mesmo dos anos anteriores, mas a novidade é a gravação de um coro com quatro vozes femininas para a parte musical da peça. Além disso, haverá a gravação de um instrumento musical no estúdio. Após a gravação das vozes dos personagens, o processo é de edição das falas e montagens das cenas que são compactadas em mídia de áudio”, comentou o sonoplasta, que conta com o auxílio de Otávio Delaneza e do integrante da produção, Thiago Bortolozi, para a pesquisa musical do espetáculo.
A previsão é que a maior parte da edição fique pronta até o dia 12 de março (domingo), quando os ensaios passarão a ser realizados já no local das apresentações (CSU), com os atores dublando as falas gravadas. Neste ano, a encenação será realizada de 9 a 16 de abril, às 20 horas, no Centro Social Urbano, com entrada franca. No sábado, 8 de abril, será realizada a pré-estreia, voltada à imprensa, autoridades, patrocinadores e convidados.

 

O Espetáculo Via Crucis é uma realização do Ministério da Cultura, Governo do Estado de São Paulo, Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste e Via Cultura, com patrocínio dos Supermercados Pague Menos, apoio Broto Legal, Cofaco, Usicomp, Cristiantex Magazine, Unimed, EPTV, Grupo Liberal de Comunicação e produção cultural 3marias.
Site: www.espetaculoviacrucis.com.br

Assessoria de Imprensa

 

Comentários