Elefantíase nasal – Rinofima

De acordo com o cirurgião plástico Dr. José Neder Netto a  rinofima é uma inflamação crônica dos tecidos do nariz acompanhado de alteração da espessura, cor e vascularização. Tem um crescimento irregular exofítico (para fora) e com a presença de teleangiectasias (vasos bem finos na superfície da pele). A rinofima  também é conhecida como elefantíase nasal, acne hiperplásica ou acne rosácea. Essa condição acomete o nariz e se caracteriza por um aspecto inchado e grosseiro. É mais frequente em indivíduos do sexo masculino de meia-idade.

Rinofima é um termo derivado do grego: rhis=nariz; phyma=crescimento. Tem evolução lenta e consiste da hipertrofia das glândulas sebáceas (crescimento das glândulas de secreção oleosa (sebo)). Apresenta-se como uma massa de coloração rosada e com alguns vasinhos sobre o nariz, principalmente na ponta nasal.

 

O diagnóstico é feito, na grande maioria dos casos, somente pelo exame físico, porém em alguns casos pode ser necessário realizar uma biópsia da pele para confirmação. As deformidades são bem características. Pode evoluir para câncer de pele como o carcinoma basocelular e, em casos mais raros, carcinoma espinocelular ou angiossarcoma.

 

O tratamento mais conhecido para a rinofima é o cirúrgico, com  laser, bisturi ou escova rotativa (dermoabrasão), visando o remodelamento do nariz. Essa condição pode ser corrigida com cirurgia mas pode reincidir.

 

O rinofima pode ser ocasionado por estresse e pelo consumo exagerado de café ou de álcool.

 

Para o tratamento rocure sempre por um médico especialista o qual te orientará e conduzirá o caso corretamente.

 

De José Neder Netto

Cirurgião plástico

Crm: 120.985

Rqe: 38.355

Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Comentários