Dupla do Vôlei Renata concilia rotina do esporte com faculdade

A tarefa de conciliar estudo com trabalho na rotina diária faz parte da vida de milhões de brasileiros. No Vôlei Renata não é diferente. O central Vini e o ponteiro Tiago Mão, atletas do time campineiro, não fogem à regra e dividem o período de treinos, viagens e jogos, com aulas, provas é, claro, muito estudo. Vini optou em seguir a carreira no esporte e está no terceiro semestre de Educação Física, já Tiago Mão cursa Administração, uma escolha pouco comum para quem passou uma vida dedicada ao vôlei. “Sempre tive, na minha cabeça, que a carreira no esporte pode ser curta ou acabar cedo. Então resolvi voltar a estudar. Meus pais sempre me incentivaram bastante a fazer alguma coisa a mais. Não dá pra falar que é fácil. Tem muita coisa pra fazer, trabalho pra entregar. Tudo isso com viagem, jogos, treinos, mas está dando certo e estou feliz”, comentou o ponteiro, que está no último semestre. “Hoje em dia, a tecnologia ajuda bastante. Algumas matérias são presenciais, outras tem a possibilidade de serem acompanhadas por teleconferência ou online, então auxilia bastante. É claro que ainda sim é preciso estudar, se concentrar, focar no conhecimento. Mas não tem mais desculpa para quem não quer se formar”, acrescentou Vini. Apesar de cursarem áreas totalmente diferentes, a dupla campineira é unânime quanto a importância do estudo após o final da carreira e não pretende parar por aí. “Acabou se tornando algo muito maior. Depois que me formar, quero emendar outro curso, uma pós, mas seguir estudando, até porque para retomar é mais complicado. Mesmo assim, quero seguir aprendendo”, disse Mão. “Eu tenho sonho de virar técnico, dirigir uma equipe de vôlei, depois de me aposentar. Então, desde agora, estou começando a me preparar para chegar pronto. Não me vejo parando de estudar”, completou Vini. Conciliar o estudo com os treinos e jogos não é atividade apenas dos mais velhos do Vôlei Renata. Os atletas que vieram das categorias de base também dividem o tempo no vôlei com a faculdade. Os centrais Melqui e Gustavo e os levantadores Paolinetti e Mossa são exemplos de jogadores que treinam durante o dia e frequentam as aulas à noite. Todos na Anhanguera “Uma das nossas premissas no projeto é formar cidadãos, não só atletas. Por isto, oferecemos bolsas de estudo para os jovens que passam por aqui. Alguns começam e terminam, outros param na metade. O mais importante neste processo é criar uma cultura de incentivo ao estudo, para que eles pensem sempre em evoluir como pessoas”, comentou Maurício Lima, embaixador do Vôlei Renata. No grupo que dá vaga na próxima fase da Superliga Masculina, com 25 pontos, o Vôlei Renata volta às quadras contra o Sesc-Rio, no próximo dia 10 (sábado), às 15 horas, no Ginásio do Taquaral, em Campinas.

Comentários