Dra. Mayra Costa sugere criação de Rede Municipal de Vigilância e Prevenção ao Suicídio em Limeira

Parlamentar protocolou requerimento em que questiona Executivo sobre as políticas públicas desenvolvidas nessa área

A vereadora Dra. Mayra Costa (PPS) protocolou na segunda-feira, 24 de abril, o Requerimento 424/2017 em que questiona a Prefeitura sobre as políticas públicas desenvolvidas para prevenção dos casos de suicídio. No documento, Dra. Mayra levanta a possibilidade da criação de uma Rede Municipal de Vigilância e Prevenção ao Suicídio.

Segundo a parlamentar, cerca de 90% das pessoas que morrem de suicídios possuem transtornos mentais e afirma que elas poderiam ser tratadas e acompanhadas. Por isso, Dra. Mayra questiona qual o protocolo na rede municipal de saúde quanto a potenciais suicidas e se, caso não exista, há a possibilidade de criá-lo.

“Nos últimos dias, casos como o jogo da baleia azul e a série “Os 13 Porquês” da rede Netflix trouxeram novamente à tona o tema do suicídio”, diz. Segundo ela, os perigos da dependência tecnológica, as armadilhas por trás dos jogos e seriados e o bullying fazem o suicídio entre jovens de 15 a 29 anos de idade ser a segunda causa de morte, segundo a Organização Mundial de Saúde.

A sugestão da parlamentar seria a criação de uma rede local de vigilância, prevenção e controle, atuando em torno de todas as situações de vulnerabilidade para o suicídio e que a rede pode ser constituída por dois níveis de articulação das ações.

O primeiro nível, segundo a vereadora, está na área da saúde, formado por profissionais de vigilância epidemiológica, serviços de urgência, de saúde mental e da atenção primária, que vão construir juntos o plano de cuidado para cada caso; o segundo nível abrange integrantes da educação pública e privada e de outros setores, públicos ou não, que vão definir e aplicar medidas de apoio às pessoas em situação de vulnerabilidade e suas famílias.

“A Secretaria de Saúde tem amplo acesso a esses casos e poderia intervir com ferramentas e protocolos para frear esse avanço de casos. A Secretaria de Educação tem também amplo acesso aos alunos diariamente nas escolas, podendo identificar possíveis casos para também intervir precocemente.”

*Informações do Gabinete Parlamentar

Comentários