Diocese de Piracicaba celebra a ordenação presbiteral do diácono Mateus, no domingo, 2 de julho

Diácono Mateus Kerches Nicolucci será ordenado padre dia 2 de julho pela imposição das mãos de Dom Fernando Mason.

Missa solene será celebrada na Catedral Santo Antônio, em Piracicaba. Foto: Rosiley Lourenço.

 

“Prevaleça em tudo a vontade de Deus”. Este é o lema da ordenação presbiteral do diácono Mateus Kerches Nicolucci. Ele será ordenado sacerdote pela imposição das mãos do bispo diocesano, Dom Fernando Mason, durante missa solene marcada para 2 de julho, às 15h, na Sé Catedral Santo Antônio. A celebração deve contar com a participação de mais de 1000 pessoas, entre padres, religiosos, amigos e familiares do diácono Mateus.

O jovem Mateus, de 26 anos, foi ordenado diácono no último dia 12 de fevereiro, na Paróquia São João Batista, em Capivari, também em missa solene presidida por Dom Fernando. Na ocasião a Igreja Matriz ficou lotada com a presença de muitos sacerdotes, diáconos permanentes, seminaristas, familiares e um grande número de fiéis da comunidade e de várias paróquias da diocese onde Mateus desenvolveu trabalhos pastorais no período em que foi seminarista. Após a ordenação presbiteral, o diácono Mateus continuará seu trabalho pastoral, servindo a Sé Catedral Santo Antônio como vigário-paroquial.

Apesar de ter nascido na cidade de Campinas, Mateus viveu desde a infância em Capivari. É o segundo filho do casal Mário Jomar Nicolucci Junior e Márcia Aparecida Kerches de Oliveira Nicolucci. Sua irmã mais velha, Mirela Kerches Nicolucci Brugnherotto, casada com Gilberto Brugnherotto é a mãe da pequena Olívia Brugnherotto, de dois anos, a alegria do tio.

 

O futuro padre diocesano Mateus, atua como Mestre de Cerimônias da Diocese, notário do Tribunal Diocesano e é articulador da Comissão de Liturgia, Ministério e Vida Consagrada. Segundo ele, existem diferentes modos de servir a Igreja. Para muitos, os trabalhos ditos “burocráticos” são maçantes e entediantes, mas afirma que se sente honrado em desenvolvê-los. “A vocação, e a própria formação diocesana nos prepara para um dia assumirmos uma paróquia, mas, particularmente, gosto desses afazeres. O que para alguns é maçante ou entediante, eu encaro de outra forma, gosto muito de preparar as cerimônias, que envolve toda uma mobilização prévia, com reuniões, organização de espaço, estudo, interpretação e, às vezes, adaptações às rubricas. O recente trabalho do Tribunal me possibilita outra forma de auxiliar as pessoas em suas vidas, por outros caminhos. É possível levar esperança para os casais que não foram tão felizes em sua vocação ao matrimônio e buscam um recomeço, começando por regularizar sua situação perante a Igreja. Acima de tudo, vejo que esses trabalhos são outros meios de servir ao povo e servir à Igreja”, ressalta Mateus.

Indagado sobre o seu chamado para servir a Igreja como presbítero, diácono Mateus lembra duas passagens bíblicas. “Tem duas passagens que me marcam mais, a primeira é 1Rs 19,11-12, que narra o encontro do profeta Elias com Deus, na brisa suave. E outra passagem, apesar do meu nome não ser homenagem ou devoção ao santo, é a vocação de Mateus: Mt 9,9, quando o próprio Senhor disse “siga-me!”. Estas duas passagens mostram a simplicidade de como Deus se manifesta e age em nossas vidas. Sempre digo que minha vocação não teve nada de extraordinário ou apoteótico, foi nessa simplicidade que me senti chamado”, lembra.

Diácono Mateus convida todos para participarem da sua ordenação presbiteral, no domingo, 2 de julho, às 15h, na Sé Catedral Santo Antônio, em Piracicaba. “Quero pedir para que todos da nossa Igreja Particular rezem sempre pelas vocações; pelos nossos seminaristas, para que eles sejam perseverantes no chamado que escutaram e responderam sim; pelos diáconos, padres e pelo nosso bispo Dom Fernando, para que eles sejam sempre fiéis ao compromisso que assumiram e jamais se esqueçam de que tudo que fazemos é para a salvação das almas”, finaliza o diácono.

Comentários