Condenação de Lula – Especialistas comentam impactos econômicos

“A condenação dele vai evidentemente minar a sua candidatura para 2018, o que é muito bom para o mercado, pois, depois de validar essa condenação em segunda instância, mesmo com preferência popular, ele tem carimbada a sua “saída” da corrida presidencial em 2018. Imaginando uma possível candidatura, a volta do ex-presidente Lula mudaria a equipe econômica que hoje é totalmente pró-mercado”, comenta Fernando Bergallo, Diretor de câmbio da FB Capital

“A condenação do Lula na data de hoje, acabou pegando o mercado um pouco desprevenido, embora ontem o Juiz Sérgio Moro já tivesse informado que o processo já estava pronto para a Sentença. Parece que os agentes ainda não esperavam logo pra hoje. Com isso, o mercado reagiu imediatamente, com dólar recuando e a bolsa subindo. A expectativa geral fica por conta de que com a condenação, as chances de candidatura de Lula para 2018 estão praticamente descartadas e isso sugere uma continuidade nas iniciativas de melhoria das contas públicas e reformas. Estes fatos são apontados como muito positivos para o país”, afirma André Bona, Educador Financeiro do Blog de Valor

“Existia um certo medo para o mercado sobre essa condenação ou possível prisão no futuro. Porém, os investidores estrangeiros tem o sentimento de uma melhora, assim como alguns investidores brasileiros. A aprovação da reforma trabalhista, como a prisão logo em seguida, mostram a força que o governo atual está e fará o Brasil caminhar com seus próprios passos”, comenta Fernando Marcondes, Planejador Patrimonial do Grupo GGR.

“O mercado reage de maneira muito positiva, bem forte. Primeiro que o Lula é uma carta fora do baralho para 2018, mesmo com as pesquisas mostrando ele como um candidato forte popularmente. Outro ponto é a chegada de um possível desfecho, pois os investidores atuavam com incertezas sobre estas questões. É um momento que dá tranquilidade de que o Brasil tem sim confiança e segurança para investir”, Pedro Coelho Afonso, Economista e Diretor de Investimentos.

Comentários