Como a Volkswagen está desenvolvendo virtualmente o carro do futuro

O laboratório de Engenharia Virtual da Volkswagen em Wolfsburg, na Alemanha, conta com vinte e quatro telas que pulsam, algumas mostrando imagens e outras exibindo centenas de linhas de programação em código. No centro da sala, há um modelo em escala 1:4 de um Golf. Frank Ostermann examina o modelo, troca as rodas, substitui as lanternas traseiras e modifica os espelhos externos. Para mudar o design, Ostermann utiliza comandos por voz e por gestos. Tudo é feito numa questão de segundos. A realidade aumentada possibilita essa facilidade. O software necessário para isso foi desenvolvido no Laboratório de Engenharia Virtual e os resultados obtidos por sua equipe podem revolucionar o trabalho dos engenheiros e designers.

Ostermann está usando óculos de realidade mista “HoloLens”. O computador móvel desenvolvido pela Microsoft projeta conteúdo virtual sobre um objeto físico através de controle por gestos e comandos por voz. Ele precisa apenas apontar o dedo e a HoloLens projeta uma pintura de cor diferente sobre o Golf, instala outras rodas e modifica os para-choques. Inicialmente, o Golf é um modelo R-Line, mas logo torna-se uma versão inteiramente nova. Esse modelo poderia, eventualmente, chegar às concessionárias em um prazo de seis meses.

Ostermann (52 anos) é formado em engenharia de computadores. Na sede da Volkswagen, em Wolfsburg, ele chefia o Laboratório de Engenharia Virtual, um dos seis laboratórios operados atualmente pela área de TI do Grupo Volkswagen em Wolfsburg, Berlim, Munique e San Francisco (EUA). O laboratório mais recente está começando a funcionar em Barcelona, na Espanha. Nesses laboratórios, especialistas da Volkswagen trabalham no futuro digital juntamente com instituições de pesquisa e parceiros tecnológicos. Novas soluções nos campos de “big data”, Indústria 4.0, Internet das coisas, conectividade, serviços de mobilidade e realidade virtual estão sendo criadas através de uma intensa colaboração.

“Nós já estamos usando a realidade aumentada e a realidade virtual na Volkswagen faz tempo, principalmente para obter uma visão tridimensional”, explica Ostermann. “Agora estamos dando um grande passo à frente no Laboratório de Engenharia Virtual. Estamos transformando essa tecnologia em uma ferramenta para o Desenvolvimento Técnico. Isto permitirá que os engenheiros da Volkswagen trabalhem em um veículo virtual, que modifiquem seu equipamento à vontade e até mesmo projetem novos componentes virtualmente. Eles poderão ver imediatamente o resultado de seu trabalho.”

“Estamos cooperando intensamente com nossos colegas do Desenvolvimento Técnico e já estamos próximos de obter novos veículos conceituais e estudos de design”, relata o engenheiro. “Contribuímos com nosso conhecimento e experiência para o desenvolvimento do produto e oferecemos soluções sob medida para todas as marcas do Grupo nos campos da engenharia virtual e engenharia de sistemas.”
Qual a motivação dessa iniciativa? A realidade aumentada e a realidade virtual ajudam a poupar tempo e custos de desenvolvimento. Cada etapa desse processo pode ser mais rápida e mais eficiente, por exemplo, com o uso do software HoloLens do Laboratório de Engenharia Virtual.

A HoloLens não apenas projeta cada mudança de design ou equipamento diretamente sobre o modelo físico. Ela também permite que várias equipes de projeto trabalhem ao mesmo tempo a partir de diferentes lugares, como por exemplo Wolfsburg, Chattanooga e Xangai. Todos os envolvidos têm acesso ao design atual do modelo em vista e o retrabalho demorado em um modelo em argila, por exemplo, poderá tornar-se coisa do passado.

“As equipes podem acompanhar e comparar diretamente as menores mudanças feitas no modelo e tomar decisões rapidamente. Isto significa que podem atingir seus objetivos com maior velocidade”, explica Ostermann.

Atualmente, o software HoloLens continua em fase de experimentação. No futuro, ele poderá permitir, por exemplo, que os usuários acessem todo o portfólio de modelos da marca Volkswagen e apresentem diferentes versões de carroceria de um modelo em todas as variações concebíveis. Assim, os desenvolvedores poderão transformar um sedã em um utilitário-esportivo, uma station-wagon, um conversível ou um cupê. “Não faz muitos anos, isto tudo era ficção científica. Agora está claro que é assim que vamos desenvolver nossos próximos modelos”, diz Ostermann.

Salão do Automóvel de São Paulo

A Volkswagen mostrou na prática a tecnologia da realidade mista (real e virtual) no Salão do Automóvel de São Paulo, em novembro do ano passado. No up! HoloView o público pode entender melhor  como a junção de inteligência artificial, realidade mista, reconhecimento de voz e de gestos poderão transformar o processo de venda de carros em um futuro muito próximo.

Com a experiência “up! HoloView”, a Volkswagen apresentou, por meio de interfaces digitais, as avançadas tecnologias dos modelos da marca. Utilizando óculos de Realidade Aumentada e posicionado em frente a um modelo up! TSI, em tamanho reduzido, o participante pode ter uma experiência futurista: conforme aparecem as imagens, um assistente virtual apresentou os principais destaques do up! através de hologramas posicionados ao redor do carro.

 

Comentários

comentários